Avelino Ferreira, 63 anos, brasileiro, casado, sete filhos, sete netos. Jornalista; escritor; professor de Filosofia.







quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Que mulher é essa?

Que mulher é essa que aceitou ser candidata à Prefeitura de Campos, após ser governadora do Estado, eleita no primeiro turno, embora na oposição, sacrificando-se com tal gesto, por amor à população do município?

Que mulher é essa que fez uma campanha limpa, visitando as pessoas em suas casas nos bairros e distritos, assumindo compromissos que tornaram-se públicos via seu programa de governo e que começaram a ser colocados em prática tão logo assumiu o cargo para o qual foi eleita?

Que mulher é essa que venceu a eleição no primeiro e segundo turnos e, na noite da posse, foi visitar uma comunidade que estava alagada e dividiu com as famílias o desespero delas?

Que mulher é essa que acabou com a corrupção na administração pública e investiu maciçamente o dinheiro dos royalties em obras importantes para o município?

Que mulher é essa que suportou uma oposição ferrenha na Câmara mas não negociou na base do toma-lá-dá-cá, costume dos governos Arnaldo/Mocaiber?

Que mulher é essa que atendeu uma reivindicação antiga dos professores, aprovando o Plano de Cargos e Salários da categoria, a despeito da oposição ferrenha das suas lideranças?

Que mulher é essa que respeitou as leis e a Constituição e teve a coragem de dizer que não poderia comprometer o dinheiro dos royalties com despesas permanentes?

Que mulher é essa que ganhou o respeito e a admiração da sociedade pela seriedade com a qual conduzia a Coisa Pública?

Que mulher é essa que foi afastada do cargo sem nenhuma acusação de improbidade, gerando a repulsa da população à Justiça Eleitoral do Estado;

Que mulher é essa que, mesmo tendo a filha candidata a uma vaga na Alerj, fez campanha aberta para outros candidatos, por considerar que o município deveria ter representantes na Assembléia e a filha, embora de Campos, tem base eleitoral na capital?

Na verdade, existe uma série de indagações a serem feitas a respeito de Que mulher é essa, que não caberiam nesta breve postagem. Então, encerro perguntando:

Que mulher é essa que cumpriu a determinação da Justiça e demitiu muitos apadrinhados de Arnaldo/Mocaiber das empresas Facility e José Pelúcio, que, inclusive, serviram para atender os cabos eleitorais dos dois, empregando até mesmo Arthur de Carvalho Aldred Pinto, filho de um dos dirigentes do partido da boquinha, segundo denúncia do vereador Albertinho.

Afinal, que mulher é essa que a maioria da população de Campos quer vê-la novamente no cargo para o qual foi eleita e, injustamente, afastada?

 

6 comentários:

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Pois é, Avelino, estes dias eu estava me perguntando também:
Que mulher é essa que os que a odeiam não tem para falar dela nada que não sejam palavras agressivas na base da falta de imaginção, pois são os mesmos adjetivos nada pátrios,de sempre e cheios de ódio, para não dizer, repulsa.Nem parece que estão se dirigindo a Pessoa. Pois por pior que seja uma pessoa ela merece respeito. Né, não? Pois é? Que mulher é essa, hein? Que mulher é essa...que causa tanto ódio...
Meu Deus...
Se pararmos para pensasr por que o mundo vai mal, podemos analisar um pouco a natureza humana e veremos por quê.


Só mesmo Jesus para guardar o coração de Jesus. E Jesus guarda, Avelino.

Anônimo disse...

O que é isso companheiro?
Foi só terminar a bienal que você volta com esse seu surto providencial, esse blá-blá-blá que não engana ninguém, com essa subserviência cega, com essas mentiras que ninguém mais suporta, com essa tentativa de dar à comunidade o que ela não quer? Você sabe que campanha limpa não existiu, e sabe como a Rosinha ganhou as eleições.
Então, para o bem de todos, inclusive seu próprio: pare com isso, erga a cabeça, procure um trabalho e vá em frente. O povo de Campos quer respirar novos ares e não ser um quintal do casal Garotinho, em troca de migalhas e miçangas.

Anônimo disse...

A SMEC excluiu os beneficiados pelo vale-livro, caso dos licenciados e extraclasses, afinal todos pertencem aos quadros da educação municipal.

Além disso, quem tem duas matrículas, tudo é descontado em dobro(são duas matrículas), porém não recebeu o vale-livro por duas matrículas.

Detalhe: nome, matrícula, enfim tudo estava na lista(em dobro, são duas matrículas), mas só recebeu por uma.

PS.: o vale-livro seria distribuído nas Unidades Escolares(sem tumulto), entretanto optaram por distribuí-lo na Bienal(marketing)- uma bagunça.

Gustavo Landim Soffiati disse...

Sem necessariamente concordar com o conteúdo do texto, posso dizer que a forma está ótima. É o Avelino dessas linhas que esperava ver naquele comentário de um tempo atrás sobre os alunos da UENF que censurei.
Abraços.

Ely disse...

Parabéns pela postagem, você respondeu à altura sem ofender quem já esteve na boquinha e achava tudo legal!! Eu acho engraçado esse povo, se está na boca tudo pode, não questiona nada, quando veem a coisa andar mas não estão levando vantagens aí criticam só por criticar. Eta povinho oportunista, coisa de gentinha!!

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Meu Deus! Isto é sério, Avelino!
Quer dizer que é mentira?
Anônimo, por favor, vamos mostrar a VERDADE? Que Tal. Fala a verdade, ok? Mas com PROVAS CLARAS. Pode até vir anonimamente, ok? Não tem problema.
Fala aí o motovo claro de ROSINHA NÃO ESTAR NA PREFEITURA. Fala api. deixa bem claro para todos lerem. Mas vem com provas, ok?