Avelino Ferreira, 63 anos, brasileiro, casado, sete filhos, sete netos. Jornalista; escritor; professor de Filosofia.







domingo, 30 de junho de 2013

Folha da Manhã comete equívocos ao sugerir pauta

A Folha da Manhã publica um editorial (que é a opinião dos donos do jornal) com equívocos que só os focas (iniciantes no jornalismo) cometem. No editorial, a Folha, a pretexto de sugestão de pauta ao movimento popular, diz que a Câmara de Vereadores de Campos deve ser cobrada para que reduza salários de vereadores e acabe com o voto secreto.

A Câmara de Vereadores de Campos, todavia, vive um novo tempo. Não apenas por ser constituída, hoje, de uma grande maioria de novos representantes da população, mas porque atua com austeridade e compromisso com a ética, com a honestidade e competência na gestão dos recursos, além de atuar ouvindo todos os setores organizados da sociedade.

Os subsídios dos vereadores e os salários dos cargos comissionados foram reduzidos logo no início da nova gestão. Por desinformação, a donos da Folha não sabem que os subsídios dos vereadores são fixados na esfera federal. Os vereadores recebem o equivalente a 60% dos subsídios dos deputados estaduais, que são reajustados a cada quatro anos. Ou seja, de 2009 a 2016, os subsídios dos vereadores terão apenas um reajuste, estabelecido em 2012 para vigorar de 2013 a 2016. 

Mesmo assim o presidente da Câmara, para adequar o orçamento, propôs e foi aceito pelos vereadores o contingenciamento dos seus vencimentos e dos vencimentos dos cargos comissionados da Casa do Povo. No que se refere às votações, não há voto secreto na Câmara de Campos. 

Como pode ser observado, o que a Folha da Manhã pretende pautar para o movimento popular não diz respeito à Câmara. 

Como a Câmara está debatendo com a sociedade, desde o início do ano, a elaboração de uma nova Constituição Municipal (Lei Orgânica do Município), o presidente, Edson Batista, propôs a prorrogação do prazo para sua elaboração. Com isso, os interessados, mesmo não representando entidades ou instituições, podem dar sugestões que objetivem melhorar a vida da população em qualquer setor de competência municipal.  

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Cláudio Andrade procede de maneira desrespeitosa

O Cláudio Andrade não tem jeito. Acho até que ele tem algum problema de infância ainda não resolvido. Como não sou psicanalista, não vou entrar no mérito. Todavia, sua insistência na insinuação de que há irregularidade no processo de aquisição de pão, presunto, queijo, café e açúcar para a Câmara de Vereadores de Campos me faz usar o espaço para responder à sua postagem.

A responsabilidade maior na aquisição de material e serviços para a Câmara de Vereadores é minha, como diretor geral do Legislativo. Então, qualquer acusação deve ser dirigida a mim, embora eu saiba que o que os fascistas de plantão desejam é atingir Dr. Edson Batista, presidente que, em décadas de vida pública, jamais cometeu um ato que ferisse sua história de cidadão honrado e competente.

Na questão do lanche para os gabinetes e outros setores da Câmara, Cláudio Andrade insinua que há ilegalidade no processo e que é mordomia demais para os vereadores. Mas ele sabe que há décadas a Câmara fornece os pães. Na gestão de Edson Batista, só agora foi feita a licitação para que o lanche seja adquirido, o que gerou reclamação de alguns vereadores que recebem eleitores do interior do município. 

O processo inclui pó de café e açúcar para os 25 gabinetes e mais todos os demais setores da Câmara. Os pães com presunto e queijo nos gabinetes têm sido cobrados pelos vereadores, porque recebem pessoas de todo o município em seus gabinetes e nada têm para oferecer. Às vezes, as pessoas ficam aguardando o vereador por um bom tempo e o que as assessorias têm para oferecer é o lanche. 

Cláudio insinua que há duplicidade, pois nos dias de sessão, um buffet é servido aos vereadores, assessores e convidados. Isso porque as sessões ocorrem entre as 17 e 20 horas, às vezes um pouco mais e eles podem ingerir alguma coisa sólida. Outras vezes, em sessões especiais ou audiências públicas, que ocorrem a partir das 10 horas e, outras vezes, às 14 horas, o buffet é necessário. E é outro serviço que sempre foi prestado à Câmara.

Mas Cláudio Andrade quer uma ação do Ministério Público para apurar possíveis irregularidades na compra dos pães. Pediu que uma repórter do seu Terceira Via apurasse e ela me telefonou. Expliquei. Mas não é isso que ele deseja. Quer desmoralizar o presidente da Casa, Edson Batista, insinuando uma possível farra com dinheiro público. 

Cláudio, quem vive de boquinhas pensa que os outros fazem o mesmo. Eu sempre combati o nazi-fascismo, que você deve cultuar de maneira envergonhada. Se quiser mesmo saber sobre o lanche que será servido aos gabinetes e aos setores da Câmara que trabalham até mais tarde, vá ao Palácio Nilo Peçanha e fale com os vereadores. Converse com os vereadores da oposição e saiba se o lanche e o café são mordomias desnecessárias ou não. 

A maneira como está procedendo é desrespeitosa.     

terça-feira, 25 de junho de 2013

Altamir Bárbara toma posse como vereador

(Fotos: Check)
Altamir Bárbara ao lado de Dr. Edson Batista

Altamir assinando a posse como vereador

Altamir Bárbara assumiu, hoje, no plenário da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes, uma cadeira no Legislativo para mais um mandato como vereador. Com 51 anos de vida pública, Altamir foi por diversas vezes vereador, deputado estadual (1971/1975) e exerceu cargos importantes no Estado e no município.

Na última eleição, foi o 13º vereador mais votado entre os 25, mas ficou na primeira suplência, já que os votos do candidato Alexandre Mocaiber não foram computados e o PSB, seu partido, ocupou apenas uma cadeira, com o eleito, Jorge Rangel. Com a nomeação de Jorge Rangel para a Secretaria de Limpeza Pública, Altamir assume a cadeira para mais um mandato. 

Edson quer transparência nas instituições que recebem verba pública

Dr. Edson Batista, vereador e presidente da Câmara de Campos

A Constituição Municipal ou Lei Orgânica Municipal (LDO) está sendo amplamente debatida em Campos, com todos os vereadores envolvidos, com sessões especiais e audiências públicas para que todos os segmentos da sociedade sejam ouvidos. Para receber mais propostas, que podem ser feitas por qualquer pessoa e não apenas pelas entidades, Dr. Edson Batista, presidente do Legislativo, propôs a prorrogação de prazo para conclusão dos trabalhos. 

É uma excelente oportunidade para que as pessoas que estão participando do movimento popular em prol de mudanças na maneira de conduzir a gestão da Coisa Pública, discutam democraticamente sobre o que deve constar na legislação municipal. A indignação tem que ser mostrada e nada melhor que as ruas. Todavia, é bom que se tenha propostas claras e o palco para um debate democrático é o parlamento, numa democracia. E hoje, o parlamento está aberto ao debate em torno de propostas e projetos.

Dr. Edson Batista vai mais longe e propõe o estabelecimento de regras para as instituições que recebem verbas públicas. O povo exige dos poderes executivo e legislativo que sejam transparentes e tem toda razão. A Câmara, desde que Edson assumiu a presidência, tem sido transparente. Agora, ele pretende elaborar lei que obrigue todas as instituições que recebam verba pública a criar um portal da transparência. Mais ainda, que as entidades e instituições que recebam verba pública limitem em dois mandatos, até o máximo de oito anos, os seus diretores ou presidentes ou provedores. 

A lei, se aprovada, vai facultar às instituições a opção de aceitar as regras estabelecidas ou rejeitá-las e, neste caso, obviamente, não receberão dinheiro do povo.  

Dr. Edson, na Câmara, está dando o exemplo. Acabou com o pagamento em cheque (agora os pagamentos são feitos via Caixa Econômica Federal); publicou no seu portal os salários de todos os vereadores, assessores, diretores e funcionários do Legislativo; está modernizando a Casa do Povo dando segurança aos que nela atuam; está em vias de implantar o ponto eletrônico; vai digitalizar todas as atas; vai recuperar as atas do século XVIII e XIX e disponibilizá-las no sítio eletrônico...

Cabruncos Livres manda um recado aos oportunistas


Em boa hora o movimento Cabruncos Livres postou as fotos dos que são considerados oportunistas, que, sem povo, sem condições de reunir meia centena de pessoas nas ruas, justamente porque não têm credibilidade, tentam se aproveitar daqueles que mostram sua indignação com tudo que consideram errado no país. E deixou claro para essa gente: vocês não nos representam. 

Nas fotos, pode-se ver Fabrício Lirio, presidente do PRP; Odisseia Carvalho, derrotada na eleição de vereador e, agora, à disposição do senador Lindinhoberg; Luciana Portinho, que presidiu a Fundação Oswaldo Lima à época da Telhado de Vidro; Graciete, do PCB, também rejeitada pela população; Jane Nunes, que, mesmo com parecer contrário da Procuradoria, conseguiu um emprego como efetiva da Prefeitura (tão absurdo que é difícil de acreditar); Neinha Freitas, que chamava Mocaiber de "Xandinho"; José Geraldo e Erick Shunk, candidatos a prefeito em 2012; e Odete Rocha, que, após a derrota em 2012, aguarda ser chamada "para perto". 

Um movimento popular com essa gente perde moralmente, eticamente, administrativamente, politicamente... mas o Cabruncos Livres constatou o oportunismo e decidiu: FORA. Faltou um FORA para os representantes do PSTU que, sem propostas válidas, claras, torce pelo caos. 

Lembro aos líderes do movimento que a Câmara de Vereadores está debatendo com a sociedade, através de seus movimentos organizados, a elaboração da nova Constituição Municipal ou a Lei Orgânica do Município de Campos dos Goytacazes. Inúmeras reuniões foram realizadas e as propostas estão sendo analisadas para serem levadas ao plenário. Os que desejarem propor algo que considerem importante, em qualquer área de abrangência municipal, é só dirigir-se ao Palácio Nilo Peçanha e participar das reuniões.



As fotos dos que tentam manipular o movimento popular

Estas mulheres candidatas em 2012

mais esta, a comunista sem causa Graciete

mais este, candidato em 2012, o Fabrício Lírio

e mais este, candidato a prefeito em 2012, o Dr. Erick 

e ainda este, Geraldo, candidato a prefeito em 2012

Esta, que tratava Mocaiber de "Xandinho" 
deveria ter vergonha de estar nas ruas mostrando a cara

Além destes, das fotos, algumas outras figuras carimbadas, como a jornalista Jane Nunes, estavam na passeata dos estudantes (a quase totalidade) na última quinta-feira. Um movimento que, com justa rezão, pede respeito à Constituição, serviços de qualidade, transparência da Coisa Pública, fim da corrupção, não pode ser manipulado por essas pessoas. Elas não representam a indignação das pessoas que exigem respeito.

Além do mais, com essas pessoas na linha de frente de qualquer movimento, desmoraliza o discurso. Reduz drasticamente a força de qualquer movimento pelo cumprimento da Carta Magna que, pelo que depreende das manifestações por todo o país, deve ser alterada. Mas não com emendas e sim, como propõe o deputado Garotinho, com uma nova Constituinte, agora num momento democrático e com um eleitor ciente de sua responsabilidade de cidadão. 

Porém, com uma linha de frente que tenha figuras carimbadas e rejeitadas pela própria população, qualquer manifestação vai ser desmoralizada. 

domingo, 23 de junho de 2013

Com os oportunistas, todo cuidado é pouco

Participei de inúmeras passeatas. Todas tinham uma causa e a maioria foi pelo fim da ditadura militar. Outras, pela eleição direta para a Presidência da República. Outras ainda não são dignas de registro histórico, porque pontuais, como as que defendiam os trabalhadores, tanto em Minas Gerais quanto aqui em Campos. 

Essas manifestações de agora, louváveis porque espontâneas, não participei e não participo, porque não há uma causa. Os motivos são vários, genéricos demais. O que está claro é que há uma insatisfação com o statu quo, mas sem direção, sem norte. 

A proposta deveria ser, então, a mudança da Constituição.Seria louvável que a sociedade, insatisfeita em sua maioria, fosse às ruas para exigir uma Assembléia Nacional Constituinte. Que parta do zero, sem direitos adquiridos. Que sejam votados livremente os parlamentares para redigir uma nova Carta Magna. A sociedade poderá dizer, via representações, o que deseja para o país. E colocar-se como responsável direto pelo que for votado. 

Eximir-se de culpa é fugir da responsabilidade. Exigir cidadania numa democracia é revelar omissão, incompetência, oportunismo. Criticar duramente os políticos sem criticar-se é leviandade, pois os nomes foram colocados na eleição e os que têm mandatos foram eleitos livremente pelo povo. Se o voto foi por interesses outros que não o da cidadania, a culpa maior é de quem votou e não do eleito. 

Mas tudo bem que se discorde do que está errado. Porém, que haja uma causa. Ir às ruas sem uma causa abrangente, nacional ou mundial, é abrir espaço para o caos. E, logicamente, para os oportunistas. Aqueles que usam a ingenuidade de grande parte da população para manipulá-la. 

Aqui em Campos temos um exemplo de manipulação na manifestação dos estudantes na quinta-feira passada, dia 20, quando alguns políticos frustrados, rejeitados pela população na eleição passada, deram um jeitinho e conduziram o processo. Um deles chegou a emprestar um trio elétrico para os jovens. Mas esses jovens, com certeza, não sabem da história deles pois, se soubessem, não permitiriam que aquelas figuras usassem o movimento. 

Com os oportunistas, todo cuidado é pouco.     

sábado, 22 de junho de 2013

Manifestação manipulada pelos políticos frustrados

(Foto: Campos 24 horas)
Odisseia e Graciete
Os manifestantes se mostraram frontalmente contra a presença dos políticos. A alegação deles é simples: não se trata de um movimento partidário. Chegaram a bater boca na Praça São Salvador com membros do PSTU, que estavam com bandeiras. No entanto, os mesmos manifestantes admitiram subir no trio elétrico do presidente municipal do PRP, Fabrício Lírio. E permitiram que este mesmo trio puxasse o movimento durante todo o trajeto. Algo que devo frisar: a minha posição não é de crítica a Fabrício.  Ele estava no papel a que tinha se proposto. Estar ali era uma opção não só dele, mas também de Graciete Santana, José Geraldo, Odisséia Carvalho, Neinha Freitas e outros.

Odisséia comanda ato diante da Câmara
Outra situação me chamou ainda mais a atenção sobre a participação dos políticos na manifestação. Vamos lá: diante da Câmara Municipal, o advogado Antonio Maurício Costa foi impedido de falar. Os manifestantes pediam ao advogado para descer do trio. O advogado argumentava e tentava se manter lá.  Atrás do trio, gritando e gesticulando para que os manifestantes a ouvissem, estava a ex-vereadora do PT e assessora do senador Lindberg Farias, Odissea Carvalho.  Ela dizia: “Ele é advogado do Garotinho. Mandem ele descer”.
A postagem é uma reprodução de trecho de matéria do jornal virtual Campos 24 horas. 
O caso é que a manifestação de quinta-feira foi manipulada por aqueles que o povo rejeitou nas urnas. E alguns frustrados que, por não conseguirem reunir pessoas para ouvi-los, pegaram uma carona no movimento espontâneo e conduziram o processo. Até porque, o trio elétrico foi cedido por um candidato a vereador no último pleito.
E por isso, além de impedirem Maurício de falar (se a manifestação era espontânea, qualquer cidadão deveria ter direito a voz), bateram nele. O advogado foi covardemente espancado e, não fosse um vigia ter aberto a porta dos fundos da Câmara para ele entrar e se proteger, talvez até o matassem. Alguns forçaram as grades de ferro da Câmara para invadi-la, mas foram chamados para "evitar violência" e saíram. Mas antes, quebraram dois vasos de planta e chutaram alguns veículos estacionados nos fundos e ao lado do Palácio Nilo Peçanha. 
A quase totalidade dos manifestantes era constituída de estudantes. Creio que eles não sabem quem são Neinha Freitas, Graciete, Odisseia e alguns outros que estavam à frente do movimento. Se soubessem, creio eu, não permitiriam a manipulação. 

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Datafolha constatou: Garotinho, o melhor governador do país

Reprodução da Folha de São Paulo

Esse ranking dos melhores governadores do Brasil foi publicado na época, na Folha de S. Paulo, é baseado em pesquisa do Datafolha, não é propaganda enganosa. O boicote e o massacre da mídia contra mim faz com que muita gente não saiba que a minha gestão como governador do Rio foi mais do que aprovada, foi considerada a melhor do Brasil, entre os governadores da mesma época. 

Isso explica por que hoje, as pesquisas me apontam em primeiro lugar com folga. E notem que eu não torrei dinheiro em publicidade, nem comprei a mídia, muito pelo contrário, era atacado o tempo todo. Assim mesmo, as pessoas acompanharam, sentiram os avanços reais, na capital, na Baixada, no interior, afinal governei para todos. Por isso sou pré-candidato, e mesmo com a campanha maciça da mídia, lidero todas as pesquisas. Em 2014, na hora certa, vamos confrontar o meu governo com a realidade da gestão de Sérgio Cabral, não o "conto de fadas" que a imprensa tenta impingir, mas cada vez convence menos pessoas. 

domingo, 9 de junho de 2013

Índio baleado no MS pode ficar paraplégico

A matéria abaixo não é novidade. Os descendentes dos nativos brasileiros que sobrevivem a duras penas, já perderam parte ponderável de suas identidades originais, tornaram-se cristãos, falam português, e como matar índio é contra a lei, os fazendeiros e os policiais eliminam o que restou deles aos poucos. N~´ao que sejam os coitadinhos, mas o que desejam, em princípio, é um tico de terra que lhes foram tomadas ao longo do tempo. Muitas das terras foram roubadas. Aliás, no passado, todas elas. 

E os governos fazem um jogo político eleitoral que favorece, sempre os invasores. Ao ponto do judiciário considerar, grande parte das vezes, os índios como invasores. Os brancos, cristãos e tementes a Deus, sentem muito o não extermínio dos índios. Assassinaram quase todos e os que restaram ficam a mercê de esmolas, discriminados, sendo motivo de ironias e sarcasmos dos que frequentam as igrejas e rezam pela humanidade. Hipocrisia que a sociedade acoberta porque ela é hipócrita. Não que o que restou dos índios não seja também, mas o que reivindicam não custa ceder-lhes. E, o que é pior, segundo uma descendente declara na matéria abaixo: no governo Dilma a coisa piorou. A seguir, a matéria da Folha de São Paulo:   

Baleado nas costas na terça-feira, o índio terena Josiel Gabriel Alves, 34, corre o risco de ficar paraplégico e continua internado na Santa Casa de Campo Grande. Ontem, sua família decidiu aceitar a oferta do governo federal para transferi-lo a Brasília.

"O médico disse que a chance é muito pouca de ele andar", explica o pai, o trabalhador braçal Saturnino Gabriel, 59, um dos familiares que se revezam na vigília diante do hospital -eles dormem sob a marquise da entrada.

A Santa Casa disse ontem que poderia realizar a cirurgia para retirar a bala, alojada próxima da medula espinhal. Os pais chegaram a concordar, mas, em reunião à tarde entre 28 familiares na grama do hospital, foram convencidos a aceitar a trasladá-lo.

"A única coisa que eu quero é ver meu filho andar", disse, chorando, a mãe, Abadia.
Defensor do traslado a Brasília, o líder Alberto Terena disse que o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) se comprometeu, durante reunião na quinta-feira, a dar toda assistência médica necessária.

Morador da terra indígena Buriti, em Sidrolândia (70 km de Campo Grande), Josiel é o mais velho de sete irmãos e trabalha na Secretaria Especial de Saúde Indígena, do Ministério da Saúde. Estudou até a 7ª série e tem oito filhos.

Ele foi baleado quando andava de moto com outros indígenas em uma fazenda reivindicada pelos índios. Segundo seus companheiros, o disparo veio de uma caminhonete prata de cabine dupla.

O incidente ocorreu apenas cinco dias depois de o seu primo Oziel Gabriel ter sido morto durante confronto com policiais que cumpriam um mandado de reintegração de posse da fazenda Buriti, do ex-deputado estadual Ricardo Bacha (PSDB). Até ontem de manhã, ninguém havia sido preso por causa dos episódios.

Desconfiados, os familiares não quiseram ser fotografados e só falaram com a Folha após consultar o Cimi (Conselho Indigenista Missionário). Eles haviam decidido não dar mais entrevistas depois que uma equipe de TV filmou Josiel numa maca de hospital e tentou entrevistá-lo no mesmo dia em que foi baleado, sem a autorização da família.
Marlene Bergamo/Folhapress
Indígenas e sem-terra durante protesto anteontemem Campo Grande pela ocupação das terras por índios terenas
Indígenas e sem-terra durante protesto anteontem em Campo Grande pela ocupação das terras por índios terenas

GOVERNO
Estudante de administração na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), a índia Célia diz que a situação piorou no governo de Dilma Rousseff, ao lembrar que foram policiais federais que comandaram a ação que resultou na morte do primo.

Com relação ao governador André Puccinelli (PMDB), ela diz que as cestas básicas só são distribuídas a cada quatro meses e são de má qualidade. No governo anterior, de Zeca do PT, a distribuição era mensal e com bons produtos, afirma. "Mas a gente não precisa de cesta básica, a gente quer a terra."

Os cerca de 5.000 terenas de Sidrolândia ocupam 2.090 hectares, mas reivindicam uma área de cerca de 17 mil hectares. Nas últimas semanas, quatro fazendas foram tomadas, aumentando a tensão entre índios e fazendeiros.

A crise levou o governo federal a enviar 110 membros da Força Nacional de Segurança à região. Com a desocupação suspensa, a principal missão é criar um cordão de isolamento entre indígenas e fazendeiros.

Na quinta-feira, o governo criou um fórum para discutir o conflito com participação de índios, fazendeiros, integrantes do governo, do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e do Conselho Nacional do Ministério Público.
(Folha de São Paulo)

Italva no Congresso do PR

COMITIVA DE ITALVA NO CONGRESSO DO PR 
 
 COMITIVA DE ITALVA NA CONVENÇÃO DO PR - PAULO FORTUNATO, 
EUCLEMIR, JUNINHO, EX VEREADOR ILECIL GASOLINA, 
SECRETÁRIA DE ASSISTÊNCIA CRISTINA RIOS, 
VEREADOR DO PR ADEMIR CARALINE E O SR. ALUISIO

 EX VEREADOR ILECIL GASOLINA, LUIZ CARLOS GOMES, 
SECRETÁRIA DE ASSISTÊNCIA CRISTINA RIOS, 
VEREADOR DO PR ADEMIR CARALINE, EUCLEMIR, ALUISIO E JUNINHO

LUIZ CARLOS GOMES, SECRETÁRIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE ITALVA, 
CRISTINA RIOS E A VEREADORA DE CAMPOS, AUXILIADORA FREITAS

PAULO FORTUNATO, EX VEREADOR ILECIL GASOLINA, 
DEPUTADO FEDERAL PAULO FEIJÓ, LUIZ CARLOS GOMES, 
SECRETÁRIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE ITALVA-RJ 
E A VEREADORA DE CAMPOS, AUXILIADORA FREITAS

sábado, 8 de junho de 2013

População de Búzios protesta contra Cabral

População de Búzios vai às ruas contra projeto de Cabral

Como todos sabem, o governador Sérgio Cabral quer despoluir a Lagoa de Araruama, despejando todo o esgoto em Búzios que segundo parte da população e a Câmara de Vereadores de lá, vai transformar o balneário em uma grande fossa. Abaixo, algumas fotos de Marcelo e Gustavo, do Peru Molhado, que mostram a mobilização da população contra a medida.  

Munidos de cartazes e indignados com projeto do governador Sérgio Cabral, buzianos foram às ruas. Fotos: Gustavo Garcia e Marcelo Lartigue/ Jornal O Peru Molhado



(Fotos extraídas do jornal Folha de São Paulo)

Ricos, famosos e arrogantes. Eles podem...


Prestes a se casar com o pai de seus filhos, Val Marchiori, 39, está preparando os detalhes da festa.
Em entrevista à revista "Contigo", ela fez uma lista de coisas que não podem entrar de jeito nenhum em um casamento chique.
"Coxinha, risoles, salgadinhos e afins. Pode até ser gostoso, mas como entrada de casamento de rico, não. Hello!", pontuou a socialite, que também baniu cerveja e prosecco de seu casório.
"Convidados com roupas alugadas e pessoas mal vestidas. Isso sempre vai ter, mas se desse, eu proibiria", riu Val.
(Da Folha de São Paulo)

Enquanto isso, em Berlim com Brad Pitt e Angelina Jolie

Brad Pitt, Angelina Jolie e os seis filhos passeando em Berlim

Em Berlim para divulgar seu novo filme, Brad Pitt comemorou com Angelina o aniversário de 38 anos dela, na última terça-feira (4).
O casal foi com os seis filhos a um restaurante de comida japonesa na capital alemã.
Depois de pagar a conta de 840 euros (cerca de R$ 2.300), ele deu uma generosa gorjeta para a garçonete que os atendeu.
Undine Orth, de 24 anos, recebeu 560 euros de gorjeta, cerca de R$ 1.600.
"Eles são tão legais, eu fiquei com os joelhos tremendo quando os vi", disse Undine em entrevista ao jornal alemão "Bild".
Undine também foi generosa e repartiu a gorjeta com 15 colegas do restaurante.
O casal de estrelas com seus filhos na Alemanha
(Da Folha de São Paulo)

Por falte de prefeito honesto, prêmio Gestão Pública em Alagoas pode acabar

Destinado a prefeitos de Alagoas que se destacam em áreas como saúde, educação e administração moral e legal, o prêmio Gestão Pública corre o risco de acabar "por falta de prefeito honesto".

O anúncio foi feito nesta semana por Pedro Oliveira, presidente do Instituto Cidadão, que promove a entrega dos troféus. O governo do Estado chegou a chamar o prêmio de "Oscar da administração pública" em seu site.

Segundo Oliveira, quando a comissão julgadora encontra um prefeito empreendedor que investe em boas ações, esbarra no fator moral e legal --ou vice-versa. "Além disso, constrange-nos o fato de, após agraciado, o prefeito ser acusado formalmente de desvios de dinheiro público", diz.

Para atender ao quesito moralidade, o instituto consulta Tribunais de Contas, Ministério Público e Justiça. Mas, como algumas investigações nesses órgãos correm em sigilo, os jurados acabam caindo em armadilhas.

Ao menos dois dos cinco prefeitos vencedores em 2012 foram alvo de denúncias após a cerimônia de premiação. "Isso frustra nosso entusiasmo de prosseguir com o evento, pois também expõe o instituto, já que não podemos tomar de volta o troféu", diz.

O prêmio, batizado de José Aprígio Vilela, empresário do açúcar irmão do governador Teotonio Vilela (PSDB), iria para a quarta edição. No ano passado, teve apoio do governo estadual.

A diretoria do Instituto Cidadão --entidade sem vínculos partidários, segundo seu estatuto-- vai se reunir para decidir o futuro do prêmio. Oliveira defende a suspensão, mas diz que outros diretores querem mudar o regulamento para premiar outros gestores, como secretários.

Vencedora do prêmio por duas vezes, em 2011 e 2012, a ex-prefeita de Piranhas Mellina Freitas (PMDB) foi acusada em abril de desviar quase R$ 16 milhões da prefeitura em licitações fraudulentas.

Seu advogado, Fábio de Almeida, afirma que eventuais "irregularidades formais" nas licitações eram de responsabilidade da área técnica, e não da prefeita.

Mellina não foi presa porque conseguiu na Justiça um salvo-conduto. Ela é filha do desembargador Washington Luiz Freitas, ex-presidente do Tribunal de Justiça alagoano.

O presidente da Associação dos Municípios de Alagoas, Marcelo Beltrão, diz desconhecer os critérios do instituto e diz que a associação faz a sua parte contra a corrupção. "Estamos criando um portal da transparência."
(Extraído da Folha de São Paulo)

José Dirceu com mais problemas na Justiça


A Justiça Federal em Brasília abriu o primeiro processo de improbidade contra o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) para cobrar a devolução dos valores que teriam sido desviados, sob seu comando, para o esquema do mensalão.

Também respondem ao processo o deputado federal José Genoino (PT-SP), o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e outras 18 pessoas.

O Ministério Público deu início à ação em 2007, mas só agora a Justiça a aceitou.

o Ministério Público acusa o núcleo político do mensalão, chefiado por Dirceu, de comprar o voto de parlamentares ligados ao PP - José Janene (PR), já morto, Pedro Corrêa (PE) e Pedro Henry (MT).

O pedido não fixa o valor a ser devolvido, mas acusa os parlamentares do PP de terem recebido ilegalmente R$ 4,1 milhões do esquema. A lei da improbidade prevê a devolução do dinheiro desviado e o aplicação de multa equivalente a três vezes o valor, corrigido a partir da época dos repasses.

Há ainda outras quatro ações de improbidade contra os condenados do mensalão, mas elas ainda não foram aceitas pela Justiça.


Ao todo, o STF condenou 25 réus. O valor aproximado dos repasses aos partidos alcança R$ 23,2 milhões, segundo o Ministério Público, o que, com a multa, elevaria a R$ 100 milhões o total do eventual ressarcimento.

O processo na área cível utiliza os mesmos argumentos que a Procuradoria-Geral da República usou durante o julgamento no Supremo (área criminal).

OUTRO LADO
A defesa de José Dirceu afirmou que o Ministério Público cometeu erro na ação e diz que ele voltará a ser excluído do processo como ocorreu na fase preliminar da outra ação de improbidade na qual ele era acusado.

O advogado de Delúbio, Sérgio Renault, afirmou que ele não cometeu nenhuma ilegalidade em suas funções partidárias e não obteve nenhuma vantagem no cargo.

Marcelo Leal, defensor de Pedro Corrêa, disse que o dinheiro repassado ao PP não configurou ato criminoso e teve como finalidade pagar o advogado de um deputado e financiar a campanha eleitoral de 2004.

A reportagem não encontrou o advogado de Pedro Henry em seu escritório no final da tarde de ontem. Procurado por meio da assessoria de seu gabinete na Câmara, Genoíno não comentou.
(Extraído de matéria da Folha de São Paulo)

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Inter TV não retransmite propaganda eleitoral do PR


Nem todos os moradores do estado do Rio puderam assistir as inserções do Partido da República que foram veiculadas anteontem nas emissoras de televisão. No norte-fluminense a retransmissora da TV Globo ligada ao grupo Inter TV, que fica no município de Campos, se negou a colocar as inserções no ar. 

A desculpa não podia ser mais esfarrapada. A emissora recebeu o comunicado da direção nacional do PR sobre a estadualização da inserções através de e-mail, mas alegou que só aceita fax. 

Os advogados da direção nacional do PR ingressaram no TSE com representação contra a atitude da emissora, e juntaram cópias de 38 outras retransmissoras da Globo que receberam o comunicado por e-mail e nem por isso deixaram de cumprir a determinação da Justiça Eleitoral. 

A corregedora do TSE, ministra Laurita Vaz costuma ser muita rigorosa com as emissoras que descumprem a legislação eleitoral vigente no país. Tanto que já comunicou à Globo nacional sobre o comportamento de sua afiliada em Campos e das sanções que a lei prevê, que vão desde retirada do ar da programação por 24 horas 48 horas, além de pesada multa financeira. 

A título de informação dos leitores do nosso blog, uma das proprietárias da retransmissora da Globo em Campos é a senhora Diva Abreu, que também é dona do jornal Folha da Manhã que há anos faz oposição ferrenha e desleal ao meu grupo político. O acionista majoritário é um empresário de sucesso em todos os ramos que atua, Fernando Camargo, provavelmente ele é que deve pagar a pesada multa que a emissora receberá pela irresponsabilidade da sócia minoritária que afrontou de forma desrespeitosa o Tribunal Superior Eleitoral. 
(Do Blog do Garotinho)

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Artigo de Beth Araújo sobre minha prisão em 2003

O jornalista e repórter fotográfico premiado Thiago Freitas resolveu escrever um livro sobre o episódio de minha prisão em 2003, seus antecedentes e as consequências. Quer lançá-lo em setembro, quando completará 10 anos dessa parte triste da minha história. Mais triste porque foi uma prisão por "crime de opinião" em pleno estado democrático. Garimpando nos arquivos, encontrou alguns artigos, entre os quais o da educadora Beth Araújo, para a Folha da Manhã, jornal que deu a maior cobertura ao fato, na época. Reproduzo aqui o que será publicado em seu livro: 

CARTA DO LEITOR
MARIA ELISABETH VIEIRA DE ARAÚJO
 
Sr. Diretor,
Neste momento, nossa manifestação resulta de imperativo moral. Tristão de Athayde já sentenciava: “o silencia só é de ouro enquanto não nos impede de dizer a verdade”.
É de justiça parabenizar a “Folha da Manhã” pela cobertura dos fatos que envolveram a condenação judicial e prisão do jornalista Avelino Ferreira, conduzida por este jornal de forma irrepreensível.
Tais fatos robustecem a história do jornal que vimos nascer e que vem apoiando as lutas mais significativas da região, sem empobrecimento da dimensão contemporânea dos fatos que marcam o país e o mundo.
Conhecemos o “quixotesco” Ferreira na década de 70. Aliás, Quixote até a aparência física. Compará-lo ao personagem de Cervantes não é ironia, mas, sim, um modo de sublinhar sua grandeza.
Dentre muitas, destacam-se a independência e a liberdade mantidas, muitas vezes, às custas de sacrifícios materiais imensos. Ângela Rô Rô explica: “a liberdade está na dor”.
Como homem e como jornalista, Avelino é um suicida por natureza. Joga-se nos fatos da vida, do mundo e de si mesmo com coragem assombrosa. Mas a contrapartida do seu trabalho, paradoxalmente, não é a morte, mas a VIDA, grávida de verdades — verdades que nos mantêm vivos e íntegros como cidadãos. Sua contribuição faz-se histórica e atesta o que afirmamos.
Parodiando o poeta Geir Campos, diríamos que Avelino Ferreira, em alguns momentos, “a pressa de colher, estraga o momento de plantar”. Ninguém é perfeito. Ele não professa nenhuma religião, mas a sensibilidade para as causas humanas, vetor de sua espiritualidade, o tem religado a Deus.
Não últimas décadas, não a fato cultural, político, etc. ante o qual Avelino Ferreira tenha estado ausente ou indiferente.
Crê no poder do conhecimento, mas não se perdeu na frieza de algumas teorias da comunicação. O “humano” é o foco da sua visão jornalística. Jamais se reveste da enganosa imparcialidade.
Assim tem sido a carreira do jornalista, artista de teatro, poeta, escritor, pesquisador, estudante de Filosofia e, além de tudo, amante da boa música.
Seus textos têm a marca da vida: das dores, alegrias, contradições, tensões, perigos, medos, coragem, ternuras, ódios, e a grande solidariedade ao pobre ser humano.
Meu Deus! Quantas tarefas para um menino que veio de um berço tão pobre, filho de quitandeiro, fato de que muito se orgulha!
Pudemos presenciar certa vez, no auge da ditadura militar, um policial deixar de espanca-lo por causa da sua fragilidade física. No fundo, mas o policial não sabia, foi sua força moral que deteve a mão do arbítrio.
O saudoso Dr. Adão Pereira Nunes, embora com afeto, o chamava, jocosamente, de “Garruchão”. O que, na linguagem da baixada campista, quer dizer “vara com uma ponta de ferro para tocar os bois”. Avelino usa seus textos como “garruchão” na denúncia das injustiças.
Pelo processo democrático ferido e pela condenação e prisão de Avelino Ferreira, sentimos dor e vergonha.
Por fim, Sr. Diretor, que a “Folha da Manhã”, no limiar dos seus 25 anos de existência, continue cumprindo com o seu papel inestimável na construção do estado democrático e na construção da história da planície goitacá.
Não é demais, por força da indignação ante os fatos em tê-la, terminar invocando trecho de uma poesia cujo autor me falha a memória: “e o bicho homem, tão presumido de sua razão...”


Publicado em Folha da Manhã, edição de 10 de setembro de 2003, página 7.

terça-feira, 4 de junho de 2013

"Sou feliz sendo prostituta" sai do ar


Eu fico pensando quem tem essas idéias mirabolantes. Existem hoje grupos, patrulhas, que tentam desvirtuar as coisas, a pretexto de combater o preconceito e da defesa de direitos de minorias. Associar a prostituição a felicidade nada mais é do que promover a atividade, sem estar ajudando as profissionais em nada. É igual à famigerada cartilha do MEC que em vez de combater a homofobia, na verdade incentivava o homossexualismo entre adolescentes. 

Em boa hora o ministro da Saúde, Alexandre Padilha mandou suspender a campanha infeliz da prostituta feliz.
(Do Blog do Garotinho)

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Parlamento Regional é consolidado em Campos

(Fotos: Thiago Freitas)
Edson Batista 
presidente do Parlamento Regional

Mauro Silva, 
secretário excecutivo do Parlamento Regional

Ranuldo Vidigal, 
economista e gerente do CIDAC

Renato Alves Teixeira, 
assistente técnico da Anson Fundação e Geotecnia Limitada

Marcelo Batista
presidente da Câmara de Quissamã

Aluizio Siqueira Filito
presidente da Câmara de S. J. da Barra

Kódia Ramalho
presidente da Câmara de Conceição de Macabu

Marquinho, vereador de S.F. de Itabapoana

Kitiely Paula Nunes, vereadora de Quissamã

Izamirthes Farah de Lima, vereadora de C. de Macabu

Juninho, vereador de Carapebus

Edson Batista, vereadores de Campos e da região e palestrantes
               Reunindo 22 vereadores de oito municípios do Norte Fluminense, o Parlamento Regional Legislativo, realizou nesta segunda-feira (03-06), a quarta reunião em Campos dos Goytacazes.
          Ficou definida como prioridade a luta por melhor infraestrutura, especialmente no que se relaciona à rodovias, ferrovias, energia e saneamento, como forma de garantir a continuidade do desenvolvimento da região com sustentabilidade e inserida nas prioridades de ações do Governo Federal.
          A próxima sessão do Parlamento Regional será realizada em 01 de julho, às 10 horas, na Câmara de Vereadores de Quissamã.
          Serão discutidas questões relaxcionaas às obras e impactos do Porto do Farol-Barra do Furado; os investimentos nas melhorias e duplicação da BR-101 e, a viabilidade da implantação da Rodovia Translitorânea, ligando diretamente todos os municípios da orla marítima, entre Macaé e São Francisco do Itabapoana.
          A reunião em Campos foi realizada no plenário da Câmara de Municipal, sob a presidência do Vereador Edson Batista, que é o presidente do Parlamento Regional, com o Secretário-Executivo, Vereador Mauro Silva.
          Além dos representantes legislativos de oito municípios, contou com palestras do Gerente do Centro de Informações e Dados de Campos, economista Ranulfo Vidigal e do engenheiro Renato Alves Teixeira, da Anson Fundação e Geotecnia Limitada.
                A questão da infraestrutura foi considerada prioritária para continuidade do debate e formulação das ações prioritárias do Parlamento Regional, na Sessão de Quissamã, acrescentando uma questão também definida como imediata que é a manutenção dos acessos existentes de Conceição de Macabu a Macaé, na BR-101, cuja eliminação acrescentaria mais 32 quilômetros aos  atuais 45 km.
                O presidente do Parlamento Regional, Vereador Edson Batista propôs a       assinatura de documento específico em torno dessas reivindicações prioritárias, bem como articulação conjunta dos municípios integrantes que, na próxima sessão, em Quissamã também poderá contar com representantes da região Centro-Norte que já manifestaram interesse em participar do Parlamento   Regional.
                O Secretário Executivo do Parlamento Regional, Vereador Mauro Silva  afirmou que a cada encontro a instituição se consolida ainda mais, mostrando o  acerto da decisão de sua criação, com a adesão cada vez maior número de vereadores e de Câmaras municipais da região.
                Participaram da reunião do Parlamento Regional vereadores dos municípios de Campos dos Goytacazes, Carapebus, Cardoso Moreira,   Conceição de Macabu, Quissamã, São Fidélis, São Francisco do Itabapoana e  São João da Barra.

Homenagem de Heloísa Crespo a Ruth Maria Chaves

DOCEMENTE CALADA
Chora Campos. Choro eu.
Chora todo ex-aluno
de Ruth Maria Chaves,
a divina dona Ruth,
a dona Ruth de tantos.

A melodiosa voz
calou-se para sempre.
Para sempre? Impossível!
Eu a estou ouvindo agora...
Ela é inesquecível.
Ela é inconfundível!
Ruth está silenciosa,
enquanto faz a passagem
para muito além da Terra, 
num reino de anjos e justos,
de almas puras como a dela.
(Heloísa Crespo)