Avelino Ferreira, 63 anos, brasileiro, casado, sete filhos, sete netos. Jornalista; escritor; professor de Filosofia.







segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pudim também está de parabéns pela vitória em São Gonçalo

(Foto: Oguianne Sardinha)
Geraldo Pudim

A grande liderança, sem dúvida, é Garotinho. Na verdade, a maior liderança política do Estado. Mas na eleição de Mulin em São Gonçalo, após uma virada histórica, estavam lá a prefeita Rosinha e Geraldo Pudim que, inclusive, foi de mala e cuia para São Gongalo há algum tempo. Sua missão: articular para reunir em, torno de Mulin o pessoal do PMDB, derrotado no primeiro turno. Portanto, parabéns também ao Pudim pela vitória no segundo maior colégio eleitoral do Estado. 

domingo, 28 de outubro de 2012

Garotinho, o grande vencedor em São Gonçalo


O resultado final do 2º turno da eleição no Estado do Rio de Janeiro mostrou que a política em nosso estado vai muito além das análises simplistas de alguns analistas políticos. 

Inicio parabenizando Neilton Mulim, que numa virada impressionante conquistou a prefeitura de São Gonçalo, segundo maior colégio eleitoral do Estado do Rio de Janeiro. Seu adversário Adolfo Konder além do apoio da prefeita Aparecida Panisset, usando a máquina da prefeitura de forma criminosa tinha depoimentos de apoio na TV, de Lula, Dilma, Cabral, Lindberg, Crivella, entre outros. 

Com a sua forma honesta de fazer política, sua humildade no trato com as pessoas, Neilton conseguiu uma das vitórias mais incríveis deste 2º turno já que o seu concorrente Adolfo Konder teve no 1º turno da eleição 192 mil votos e agora 202 mil, enquanto Neilton subiu de 116 mil para 265 mil votos. 

Tenho fé e esperança em Deus que ele será um grande prefeito de São Gonçalo. Fiz tudo que podia como presidente estadual do PR e como seu amigo pessoal. 

Felicito também Rubens Bomtempo eleito pelo PSB prefeito de Petrópolis tendo como vice o professor Fernando Vaz, do PR. Nesta cidade aconteceu mais uma das covardias do TRE - RJ transformado em repartição do Palácio Guanabara. Mas Rubens Bomtempo com seu preparo e equilíbrio soube derrotar todas as adversidades e derrotou o queridinho do fazendeiro Picciani, o deputado Bernardo Rossi (PMDB). 

Em Volta Redonda no sul-fluminense, embora tenha feito uma campanha espetacular, o deputado federal Zoinho (PR) teve mais de 77 mil votos, mas o vencedor foi o prefeito Neto (PMDB). Nos últimos dias de campanha como crescimento de Zoinho até Michel Temer foi levado para socorrer o prefeito de Volta Redonda. 

Parabéns aos demais vencedores: Denis Dauttamann (PC do B) em Belford Roxo, ele venceu Waguinho do PRTB; em Duque de Caxias, o PMDB sofreu uma derrota contundente: o deputado Alexandre Cardoso (PSB) derrotou o deputado e ex-prefeito Washington Reis; em Niterói numa eleição disputada voto a voto Rodrigo Neves (PT) deu a única vitória ao Partido dos Trabalhadores no Rio de Janeiro; e finalmente Nova Iguaçu elegeu Nelson Bornier numa das eleições mais complicadas, tumultuadas e parciais da história do Estado do Rio de Janeiro. 

Só para lembrar até o dia da inseminação do nome dos candidatos nas urnas do 1º turno, Nelson Bornier e Rogério Lisboa tinham como vices candidatos do PR, o que quase provocou o adiamento da eleição. 

O povo foi às urnas e deu o seu recado como diria o saudoso locutor esportivo Waldir Amaral: "Falou, tá falado!". 

Apenas alerto aos analistas de resultados eleitorais duas questões. Excetuando-se a incontestável vitória de Eduardo Paes na cidade do Rio de Janeiro, o grande derrotado das urnas foi o PMDB - RJ. Perdeu para o PT a administração de Angra dos Reis, a maior cidade da Costa Verde. Foi derrotado nas duas principais cidades da Região dos Lagos, em Araruama quem venceu foi Miguel Jeovani (PR), e em Cabo Frio, o vencedor foi Alair Corrêa (PP) em aliança com PR. Na região norte do estado nas duas principais cidades, Campos e Macaé sofreu duas derrotas fragorosas, para o PR (Rosinha) em Campos, e para o PV (Dr. Aluísio) em Macaé. 

No noroeste do estado perdeu nas três mais importantes cidades, duas inclusive que são administradas por peemedebistas, em Miracema o vencedor foi Joedyr Orsay (PR) e em Santo Antônio de Pádua acabou a oligarquia de 30 anos da família Padilha com a vitória do nosso candidato Josias Quintal; e em Itaperuna o PMDB estava tão fraco que apoiou o nosso candidato Alfredão, que foi o vencedor. 

Na Região Serrana perdeu na principal cidade, Petrópolis, para a chapa PSB - PR. No sul do estado não fosse a vitória de hoje em Volta Redonda, o PMDB teria passado um vexame, o candidato apoiado pelo PR em Barra Mansa, Jonas Marins, do PC do B derrotou o candidato do PMDB, o prefeito José Renato. Em Resende Noel de Carvalho (PMDB) amargou a maior derrota eleitoral da sua vida. 

Isso sem contar a vitória do PR em São Gonçalo, o segundo maior colégio eleitoral do estado. 

Passo dessas observações para uma outra muito importante. O número que está sendo usado pela imprensa para comparações sobre o PMDB no Rio de Janeiro está equivocado. Falam que caiu de 35 para 24 prefeitos. Mas 35 foi o número de prefeitos eleitos em 2008, como vários deles mudaram de partido o foram para o PMDB, o partido de Cabral na verdade tem hoje 42 prefeitos, e caiu para 24. 

Mas a hora não é de fazer mais análises e sim de cumprimentar os vencedores, consolar os derrotados, e desejar que Deus abençoe a todos. 

(Reprodução do Blog do Garotinho)

Vitor Dinelli atropela e mata idosa na Pecuária

Reproduzo abaixo trecho de matéria do jornal virtual Ururau

O estudante de Odontologia Vitor Dinelli Rodrigues, de 21 anos, atropelou e matou a idosa Derly Pessanha Lourenço, de 68 anos, no canteiro central da Avenida Presidente Vargas, Pecuária. 
Segundo moradores, o estudante de odontologia Vitor Dinelli Rodrigues, de 21 anos, dirigia em alta velocidade pela avenida, quando perdeu o controle do veículo, subiu no canteiro e atingiu a senhora que montava sua barraca de verduras para vender.

De acordo com a PM, o jovem que estava com sinais de embriagues, havia saído de uma festa no bairro. Ele tentou fugir pela rua do Colégio 29 de maio, mas foi impedido pelos moradores.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Campos e o jovem foi levado para a 134ª Delegacia Legal do Centro para prestar esclarecimentos.

Segundo a Polícia Civil, o estudante se recusou a fazer o teste do bafômetro e deve responder por homicídio culposo. O rapaz teve a carteira de habilitação apreendida.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Cabral vai demolir escola também



"Todo mundo noticiou que o Estádio de Atletismo Célio de Barros, o Parque Aquático Julio Delamare, dentro do complexo do Maracanã, além do Museu do Índio seriam demolidos para dar lugar a estacionamentos e praças de alimentação" escreveu Garotinho, estranhando que nenhum jornal do Rio noticiou a demolição da escola. Precisou o Estado de São Paulo publicar para que ficássemos sabendo. 

(Extraído do Blog do Garotinho)

A fada cheia de idéias


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Assassinato de Khadafi agora é "morte"

AP Photo/Farouk Ibrahim
Khadafi ao lado do então presidente do Egito, Gamal Abdel Nasser

Alguns jornais e sites de notícias publicaram fotos e matérias lembrando a morte de Muammar Khadafi, presidente da Líbia assassinado há um ano (20 de outubro de 2011). A referência à morte de Khadafi soa como ironia, quando o mundo sabe que ele foi assassinado, assim como Saddam Hussein e outros líderes perseguidos pelos "democratas", principalmente os americanos do norte. 

Quando interessa aos americanos, essas lideranças tidas e havidas como tirânicas, são blindadas, ajudadas militarmente e, em muitos casos (Israel, por exemplo) são elogiadas. Quando não interessa, são ditadores, sanguinários e terroristas. O caso de Bin Laden é emblemático: quando interessou aos EUA, era homem da "inteligência". Quando não, foi caçado até seu assassinato, comemorado como um grande feito.

Temos que parar de hipocrisia (sei que sem ela nem sociedade haveria) e dizer o que é. Por isso, o assassinato de Khadafi e tantos outros pelos americanos e/ou com seu apoio não podem ser lembrados como "mortes", apenas. 

domingo, 21 de outubro de 2012

Wesley lança livro no centenário do Campos Atlético Associação

Fotos: Oguianne Sardinha)
Wesley autografa seu Saudosas Pelejas

O jornalista Wesley Machado lançou ontem seu livro Saudosas Pelejas - a história centenária do Campos Athletic Association, na sede social do clube, na Avenida Alberto Torres, numa tarde de homenagens que reuniu diversos atletas veteranos e craques do passado de glórias do "Roxinho" ou "Leão da Coroa". 

O livro, que será lançado na Bienal do Livro deste ano, em Campos, foi autografado ontem pelo autor nas comemorações dos 100 anos do clube que, segundo prova Wesley em sua monografia, foi o primeiro clube de futebol a ter negros no time e na diretoria. 

Ao lado do presidente que ergueu o clube, Márcio Reinaldo (com todo apoio de Marcos Brito, "Roxinho"  que torce pelo Fluminense) Wesley falou sobre seu trabalho, fruto de garimpagem para a monografia de conclusão do curso de jornalismo que serviu de base para seu livro. 

Como mestre de cerimônia, convidou os ex-jogadores, muitos entre os 75 e 90 anos, que se emocionaram com a homenagem. Delso Gomes, Fernando Machado (avô do autor), Carlos Alberto Redondo, Hélvio Santafé (que lançará seu livro sobre os três clubes centenários de Campos em novembro, no Trianon) e o mais aplaudido, o ex-craque Ciatiel. Também foram homenageados o consagrado jornalista e escritor Péris Ribeiro e o jornalista e pesquisador Humberto Rangel e o escritor Márcio de Aquino. 

Com toda sua família presente, Wesley Machado viveu um dos momentos mais importantes de sua vida profissional. Não apenas porque lançou seu primeiro livro, mas pelo reconhecimento do seu trabalho e por estar participando dos 100 anos do clube que escolheu para seu trabalho monográfico. 

O livro, de 160 páginas, traz, além da história do clube, crônicas de Márcio de Aquino, Orávio de Campos,  Carlos Alberto Redondo, Roberto Findlay, Hugo de Campos Soares, Oswaldo Lima, Waldir Pinto de Carvalho. E tem o prefácio de Péris Ribeiro, autor de Didi, o gênio da folha seca (prêmio João Saldanha de Jornalismo Esportivo - Literatura - em 2011). 

Wesley e Márcio Reinaldo

Wesley e Ciatiel

Wesley e Delso Gomes

Márcio, Wesley e Fernando Machado

Wesley e Carlos Alberto Redondo

Perinho recebe homenagem de Márcio Reinaldo

Wesley e Hélvio Santafé

Wesley e Humberto Rangel

Wesley e a tia Margareth

Wesley e Lívia 

Wesley e Avelino

Wesley  e a esposa Nilceia

O salão reuniu os amantes do "Roxinho"

Wesley com a filha Luiza e parte de sua família

sábado, 20 de outubro de 2012

A fada cheia de idéias no Teatro de Bolso

Elenco da Cia. Gente de Teatro


Com direção de Neusinha Da Hora e orientação pedagógica de Ivana Cruz, a Cia. Gente de Teatro apresentará, no Teatro de Bolso, de 26 a 28 deste mês, a peça A Fada Cheia de Idéias, com sessões às 16 e 19 horas. 

Sérgio Cabral quer derrubar o Museu do Índio


O JB traz reportagem de Caio de Menezes sobre o anúncio da derrubada do prédio construído em 1862 e que abrigou o Museu do ìndio (nome pelo qual é conhecido) criado por Darcy Ribeiro. O anúncio da derrubada do prédio histórico, mas ainda não tombado pelo Patrimônio Histórico, foi feito pelo governador Sérgio Cabral que disse ser uma exigência da FIFA para a Copa do Mundo de Futebol. A FIFA já desmentiu o governador, mas sem um movimento de intelectuais e indigenistas em favor do Museu do Índio, o prédio será demolido para virar estacionamento. 
A reportagem do JB destaca o antropólogo Mércio Gomes, ex-presidente da FUNAI, amigo de Darcy Ribeiro e autor de diversos livros sobre a questão indígena e que escolheu o Museu do ìndio  para lançar seu mais recente livro, editado pela Vozes, Índios e o Brasil. Mércio Gomes, que é professor da UFRJ diz que o governador não tem conhecimento histórico nem lealdade com os índios.

Segundo o antropólogo, "aquele prédio, erguido em 1862, é o alicerce do indianismo rondoniano. Marechal Rondon recebia os índios ali. Naquele local o indianismo começou a ser pensado". Mércio visitará os índios (que moram no prédio)na próxima segunda-feira (22/10). Além da importância histórica do prédio, Mércio destacou a função atual do imóvel. O antropólogo também sugeriu possíveis destinações e alternativas para o espaço.
"Desde o século retrasado aquilo é a porta de entrada para índios que vêm viver no meio urbano. É o porto seguro, onde mantêm viva sua cultura", disse. "Por quê em vez de demolir, não transformar o imóvel em um centro de cultura indígena? A cultura indígena é uma marca do Brasil, atrai milhões de pessoas em todo o mundo. Seria uma grandiosa atração para torcedores e turistas da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Melhor do que dar ingresso de graça, é criar essa instituição que proporcione dignidade aos índios que vivem no Rio".

O prédio é um imóvel centenário que foi sede do Serviço de Proteção ao Índio (SPI), criado pelo Marechal Rondon, e deu origem à Fundação Nacional do Índio (Funai). Mais tarde, o prédio histórico abrigou, também, a primeira sede do Museu do Índio, fundado por Darcy Ribeiro, posteriormente transferido para Botafogo. No entanto, como não foi tombado por nenhum órgão, embora todos reconheçam o seu raro valor tanto para a história quanto para a cultura indígena e da cidade do Rio de Janeiro, o local encontra-se hoje em ruínas.
Desde 2006 o imóvel está ocupado por índios de diversas etnias. A "Aldeia Maracanã", como eles denominaram o local, tornou-se uma referência nacional para o indígena que chega à cidade. Os cerca de vinte índios, que moram na área onde construíram casas de barro e ocas, reivindicam a criação no local de um pólo de cultura para a preservação dos usos, tradições e costumes do povo indígena.
A manutenção do edifício é importante para eles, não só pela sua relação histórica com os índios, mas também por ter sido construído e habitado pela tribo Maracanã, que dá nome ao rio que passa nas imediações e ao estádio, cuja reforma pode vir a ser a causa da expulsão definitiva dos indígenas.
SAIBA MAIS SOBRE A "Aldeia Maracanã"
O Centro Cultural Indígena está localizado no Antigo Museu do Indio (entrada pela Radial Oeste, portão verde),  próximo ao Maracanã. O primeiro proprietário do imóvel, o Duque de Saxe, em 18 de julho de 1865, doou o espaço à União para transformá-lo num centro de pesquisa sobre a cultura indígena. O antigo Museu do Índio foi inaugurado em 19 de abril de 1953, mesma data em que Darcy Ribeiro conseguiu criar o Dia do Índio.   
Em setembro de 1984, a União cedeu o imóvel à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que, em 1986, deixou-o nas mãos do Ministério da Agricultura. Atualmente, integrantes do Centro Cultural Indígena, de várias etnias indígenas, cuidam do espaço, transformando as tardes de sábado num ponto de cultura dos povos originários, com pinturas corporais, danças (Toré), comidas típicas, contação de estórias nativas brasileiras, entre outras atividades.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Livro de Wesley marca o centenário de clube campista


O jornalista Wesley Machado faz o pré-lançamento da 1ª edição limitada do seu 1º livro próprio "Saudosas Pelejas - A história centenária do Campos Athletic Association", neste domingo, às 15 horas, na sede do Campos Atlético Associação, localizada na Avenida Alberto Torres, número 714, Parque Leopoldina. O livro é o resultado da pesquisa que Wesley fez para o Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo da Faculdade de Filosofia de Campos no ano de 2008. 

A pesquisa foi ampliada com a ajuda do diretor do Campos A. A., Wilson Carlos, que foi ao Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho em busca de mais notícias e novas histórias que entraram no livro. "Saudosas Pelejas" tem orelha de Afonsinho, primeiro jogador a obter o passe livre e que teve uma polêmica com o então técnico do Botafogo, Zagallo, supostamente por ter deixado a barba crescer. O prefácio do livro de Wesley foi escrito por Péris Ribeiro, autor da biografia de Didi, "O Gênio da Folha Seca".

Com capa de Fernando Luiz e diagramação e arte de Enockes Cavalar, "Saudosas Pelejas", tem 160 páginas de textos e fotos históricas, como a do fundador do clube, Ângelo de Carvalho. Nos anexos, textos de escritores, jornalistas e torcedores que escreveram sobre o "Antigo Leão da Coroa", tais como Waldir de Carvalho, Oswaldo Lima, Hugo de Campos, Roberto Findlay, Orávio de Campos, Carlos Alberto Redondo e Márcio de Aquino.

Wesley Machado jogou no time mirim do "Roxinho", que se sagrou bi-campeão da Copa Jornal "A Cidade" nos anos de 1990 e 1991, competição esta disputada no Clube de Regatas Saldanha da Gama. Apesar de destro, Wesley jogava improvisado de lateral esquerdo, guardadas as devidas proporções como Nilton Santos e Júnior. Ele foi levado para o clube pelo avô materno, Egenildo Barbosa. O avô paterno do autor, Fernando Machado, também foi jogador do "Roxinho", tendo jogado uma partida pela equipe de aspirantes contra o São José em Goitacazes.


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

STF inocenta Garotinho

O Supremo Tribunal Federal rejeitou, nesta quarta-feira, por 6 votos a 1, denúncia contra o ex-governador do Rio de Janeiro e deputado federal (PR-RJ) Anthony Garotinho por compra de votos, em 2004, quando da campanha eleitoral de Geraldo Pudim, então candidato pelo PMDB à Prefeitura de Campos. Assim, o inquérito (Inq 2704) iniciado no STF em 2008 fica arquivado, sem a possibilidade da instauração da ação penal pretendida pelo Ministério Público.


(Trecho  de matéria do JB escrita por Orlando Carneiro)

Xuxa ganha da Universal


Xuxa vai receber R$ 150 mil da Igreja Universal, informou a coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Diário de S.Paulo.
A 6ª Vara Cível da Barra, Rio de Janeiro, condenou a igreja de Edir Macedo a indenizar a apresentadora por publicar na Folha Universal que ela teria "pacto com o demônio".
(Nota extraída do JB)

Niemeyer é internado na antevéspera de completar 105 anos



Faltando menos de dois meses para completar 105 anos de idade, o nosso arquiteto maior, Oscar Niemeyer, foi novamente no Hospital Samaritano, em Botafogo, Rio de Janeiro, Na verdade, Niemeyer foi internado no sábado, sem que se saiba o motivo. Na última vez que foi internado, Niemeyer estava desidratado e com pneumonia. 

A família não quer que o hospital divulgue boletins médicos.

Nota extraída do JB de hoje: 

Os resultados dos últimos exames do arquiteto Oscar Niemeyer apresentaram melhora hoje (17). Havia uma suspeita de infecção renal, já afastada. Segundo familiares, seu estado de saúde é estável, embora sempre inspire cuidados, por seus 104 anos. Niemeyer já estaria sentado em seu quarto, conversando com a mulher, Vera Lucia. 
Mais por precaução, Niemeyer foi internado no último final de semana no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio, com um quadro de desidratação.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Indescritível o show de Rick Vallen

Indescritível o show de Rick Vallen do Trianon agora há pouco. Um intérprete da melhor qualidade que surgiu recentemente, em meio a tantas baboseiras valorizadas por uma mídia criminosa. De parabéns do Trianon por tê-lo trazido e a todos que participaram do espetáculo.

domingo, 14 de outubro de 2012

Leonardo Boff fala sobre comida e a fome no mundo


Por considerar pertinente, principalmente quando minha postagem abaixo é sobre a fome no mundo, reproduzo aqui o artigo do pensador Leonardo Boff no Jornal do Brasil: 

Comensalidade: passagem do animal ao humano

Há indícios de que há 7 milhões de anos o ser humano partiu de um ancestral comum

Jornal do BrasilLeonardo Boff*

A especificidade do ser humano surgiu de forma misteriosa e de difícil reconstituição histórica. Mas há indícios de que há 7 milhões de anos partiu de um ancestral comum, que teria começado a separação lenta e progressiva entre os símios superiores e os humanos.
Etnobiólogos e arqueólogos nos acenam para um fato singular. Quando nossos antepassados antropoides saíam a recoletar frutos, sementes, caças e peixes, não comiam individualmente. Tomavam os alimentos e os levavam ao grupo. E aí praticavam a comensalidade, o que significa: distribuíam os alimentos entre si  e comiam-nos comunitariamente. Esta comensalidade permitiu o salto da animalidade em direção à humanidade. Essa pequena diferença faz toda uma diferença.
O que ontem nos fez humanos continua ainda hoje a fazer-nos de novo humanos. E se não estiver presente, nos faremos desumanos, cruéis e sem piedade. Não é esta, lamentavelmente, a situação da humanidade atual?
Um elemento, produtor de humanidade, estreitamente ligado à comensalidade, é a culinária, vale dizer, a preparação dos alimentos. Bem escreveu Claude Lévi-Strauss, eminente antropólogo que trabalhou muitos anos no Brasil: ”O domínio da cozinha constitui uma forma de atividade humana verdadeiramente universal. Assim como não existe sociedade sem linguagem, assim também não há nenhuma sociedade que não cozinhe alguns de seus alimentos”.
Há 500 mil anos o ser humano aprendeu a fazer fogo e  a domesticá-lo. Com o fogo começou a cozinhar os alimentos. O “fogo culinário” é o que diferencia o ser humano de outros mamíferos complexos. A passagem do cru ao cozido é  considerada um dos fatores de passagem do animal ao ser humano civilizado. Com o fogo surgiu a culinária,  própria de cada povo, de cada cultura e de cada região.
Não se trata nunca de apenas  cozinhar os alimentos mas de dar-lhes sabor. As várias culinárias criam hábitos culturais, não raro vinculados, entre nós, a certas festas como o Natal (o peru), a Páscoa (ovos de chocolate), primeiro do ano (carne suína), a festa de São João (milho assado) e outras.
Nutrir-se nunca é uma mecânica biológica individual. Consumir comensalmente é comungar com os outros que conosco comem. É comungar com as energias cósmicas que subjazem aos alimentos, especialmente a fertilidade da terra, o sol, as florestas, as águas e  os ventos.
Em razão deste caráter numinoso do comer/consumir/comungar, toda comensalidade é de certa forma sacramental. Embelezamos os alimentos, porque não comemos só com a boca mas também com os olhos. O momento do comer é um dos mais esperados do dia e da noite. Há a consciência instintiva e reflexa de que sem o comer não há vida nem sobrevida, nem alegria de existir e de coexistir.
Durante milhões de anos os seres humanos eram triibutários da natureza, tiravam dela o que precisavam para sobreviver. Da apropriação dos frutos da natureza evolui-se para a sua produção  mediante a criação da agricultura que supõe a domesticação e o cultivo de sementes e plantas.
Por volta de 10 a 12 mil anos atrás, ocorreu talvez a maior revolução da história humana: de nômades, os seres humanos se fizeram sedentários. Fundaram as primeiras vilas (12.000 a.C.), inventaram a agricultura (9.000 a.C.) e começaram a domesticar e a criar animais (8.500 a.C.). Criou-se um processo civilizatório extremamente complexo, com sucessivas revoluções: a industrial, a nuclear, a cibernética, a da nanotecnologia,  a da informação até alcançar o nosso tempo.
Primeiramente, domesticaram-se vegetais e cereais selvagens, provavelmente, por mulheres mais observadoras dos ritmos da natureza. Tudo parece ter se iniciado no Oriente Médio entre os rios Tigre e Eufrates e no vale do Indus da Índia. Ai se domesticou o trigo, a cevada, a lentilha, a fava e a ervilha. Na América Latina foi o milho, o abacate, o tomate, a mandioca e os feijões. No Oriente foi o arroz e o milhete. Na Africa, o milho e o sorgo. Em seguida, por volta de 8.500 a.C. se domesticaram espécies animais, a começar pelas cabras, carneiros, depois o boi e o porco. Entre os galináceos a galinha foi a primeira. Tudo foi facilitado com a invenção da roda, da enxada e do arado e de outros utensílios de metal por volta de 4.000 a.C.
Estes poucos dados hoje são levantados cientificamente por arqueólogos e etnobiólogos, usando as mais modernas tecnologias do carbono radioativo, do microscópio eletrônico e da análise química de sedimentos, de cinzas, de pólens, de ossos e carvões de madeiras. Os resultados permitem reconstituir como era  a ecologia local e como se operava a utilização econômica por parte das populações humanas.
Ao plantar e colher trigo ou arroz elas podiam criar reservas, organizar a alimentação dos grupos, fazer crescer a família e assim a população. Teve que ganhar a vida com o suor do seu rosto. E o fez com furor. O avanço da  agricultura e da criação de animais fez desaparecer lentamente a décima parte de toda a vegetação selvagem e de animais. Não havia ainda a preocupação com a gestão responsável do meio ambiente. E é também difícil de imaginá-la, dada a riqueza dos recursos naturais e a capacidade de regeneração dos ecossistemas.
De todas as formas, o neolítico pôs em marcha um processo que nos alcança até os dias de hoje. A segurança alimentar e o grande banquete que a revolução agrícola poderia ter preparado para toda a humanidade, no qual todos seriam igualmente comensais, não pôde ser ainda celebrado. Mais de 1 bilhão de seres humanos estão ao pé da mesa, esperando alguma migalha para poderem matar a fome.
A Cúpula Mundial da Alimentação celebrada em Roma em 1996 que se propôs erradicar a fome até 2015 diz que “a seguridade alimentar existe quando todos os seres humanos têm, a todo o momento, um acesso físico e econômico a uma alimentação suficiente, sã e nutritiva, permitindo-lhes satisfazer suas necessidades energéticas e suas preferências alimentares a fim de levar uma vida sã e ativa”. Esse propósito foi assumido pelas Metas do Milênio da ONU. Lamentavelmente, a própria FAO comunicou em 1998 e agora a ONU que estes propósitos não serão alcançados a menos que se supere o fosso demasiadamente grande  das desigualdades sociais.
Enquanto não dermos este salto, não completaremos nossa humanidade. Esse é o grande desafio do século 21: tornarmo-nos plenamente humanos.
* Leonardo Boff, teólogo e filósofo, é escritor. -  lboff@leonardoboff.com

sábado, 13 de outubro de 2012

Para curtirmos no feriadão


Essas imagens chocam 

porque não queremos ver, ler e nos preocupar

com os nossos irmãos, nossos parentes africanos

porque Deus está conosco e deixou-os à própria "sorte"


Pensei em postar as imagens acima ontem, Dia das Crianças e de Nossa Senhora Aparecida, mas não o fiz porque, em geral, as crianças ontem estavam "curtindo" o seu dia com seus pais e responsáveis. 

Mas nós, sexta maior economia do mundo, onde grande parte reclama de tudo e os ladrões da Coisa Pública engordam cada vez mais suas contas, vivendo muito bem e, até, milionariamente bem, com magistrados fazendo greve porque R$ 30 mil de salário é muito pouco, com milhões hoje na classe média, ganhando mais de R$ 5 mil mensais e chorando miséria, temos que ter na mente as imagens acima. 
  
Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, uma em cada oito pessoas passa fome no mundo. São 870 milhões de seres humanos passando fome. Sem comida e sem água.  

ACL convida para Ciranda Literária


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Rick Vallen no Trianon para professores


Rick Vallen

Uma das melhores novidades da MPB, sem dúvida alguma, é Rick Vallen. Sua performance no palco e a interpretação das músicas que escolhe para seu repertório, dosando muito bem o grave e o agudo, faz dele um dos melhores intérpretes da nova geração que a mídia tenta velar. Todavia, sua agenda está sempre cheia. 
Este mês de outubro, com shows em Niterói, São Gonçalo, Rio de Janeiro Lona Cultural e Teatro Rival) e São Paulo, Rick Vallen estará em Campos no dia 16, terça-feira após o longo feriado, para um show no Trianon que está sendo ofertado para os professores pela passagem de seu dia (15 de outubro). 

Não sei qual o repertório, nem se Rick Vallen trará um espetáculo especial para o Trianon. Sei, no entanto, que os que o conhecem estarão lá e quem não o conhece terá a oportunidade de ver um grande intérprete no palco. 

Rick Vallen em show no Canecão (2010)

Público de Rick Vallen no Canecão

Viviane Terra e Maria Thomaz no show de Rick Vallen no Canecão

Em nome de Deus

Os chefes religiosos que cultuam o Deus do cristianismo e que atuam de maneira honesta, buscando seguir os famosos mandamentos morais para quem deseja uma vida virtuosa, deveriam vir a público para desautorizar o prefeito eleito de São João da Barra, o Neco. 

Isso porque ele insiste em dizer que a compra de votos, o aliciamento e cooptação de parte da oposição (candidatos e cabos eleitorais) por dinheiro que só pode ser oriundo da corrupção, além do inchaço absurdo da lista de eleitores do município (quase 31 mil eleitores para 33 mil habitantes), foram ações coordenadas ou induzidas por Deus. 

Que uma parte do povo se vende, todos nós sabemos. Lá como aqui, como acolá. Pode-se dizer que essa parte vende sua dignidade, sua honra, mas não é verdade. Quem vende o voto que deve ser depositado na urna pelo bem de sua cidade, seu estado, seu país (e não por si e/ou os seus), não tem nem sabe o que é dignidade ou honra. Mas quem compra esses eleitores também não tem dignidade nem honra. E não pode, segundo os preceitos cristãos, justificar a corrupção, o roubo, como obra de Deus.

Como o Estado brasileiro é laico, o Judiciário não julga os crimes de fé e sim, os crimes de razão. Por isso mesmo os magistrados devem condenar os eleitos (Neco e Alexandre Rosa) e a prefeita Carla Machado, presa em flagrante pelos crimes acima citados, com base na investigação e provas da Polícia Federal. Porém, os chefes religiosos deveriam manifestar seu repúdio pelo uso indevido de Deus por parte dos meliantes.    

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A vitória do PTB em Campos

(Fotos: Oguianne Sardinha)
Dr. Edson, acompanhado de sua esposa, Tânia, e do sargento Emílio na carreata de agradecimento

Trabalhamos intensamente para que o PTB, sem estrelas, elegesse dois vereadores. Não foi fácil. Dr. Edson Batista preocupou-se, durante meses, muito mais com o Partido que com sua própria candidatura. Os obstáculos foram muitos, principalmente porque tentaram, com mentiras, tirar a legenda das nossas mãos. Todos os candidatos uniram-se e, tendo `frente Dr. Edson, conseguimos manter a legenda e a nominata.

Com escassos recursos, conseguimos, com apoio da coordenação geral da majoritária, organizar a burocracia e a parte jurídica e, finalmente, coligados com o PSDB, iniciamos a campanha eleitoral. Dr. Edson atendeu a todos os candidatos. Com um tempo reduzidíssimo em rádio e TV, fizemos o possível para atender a todos. E o resultado foi satisfatório, porque conseguimos o que almejávamos desde o início. 

Agora é ajudar a prefeita Rosinha para que ela tenha tranquilidade para governar. Todos sabem que na eleição de 2008 elegemos apenas seis vereadores, em 17. Agora, temos 19 dos 25 eleitos. Com certeza, a prefeita terá uma relação mais tranquila com a Câmara e o PTB, com a quarta maior legenda e dois vereadores comprometidos com seu projeto político, que é o nosso também, vai lhe dar o suporte necessário, sem perder sua identidade. 

Como vice-presidente do partido e um dos artífices da nossa performance, quero parabenizar a todos os candidatos, pois sem eles tão teríamos o êxito obtido. Parabéns  aos eleitos, Edson Batista e Neném, que conseguiram, na nominata, a preferência do eleitorado. Que, juntos, possamos fortalecer o partido para a atuação nos próximos quatro anos e para os novos embates eleitorais que, sabemos, são sempre difíceis. Aproveito para parabenizar a militância de todos os candidatos, pois é ela que é a nossa linha de frente. E parabéns ao povo de Campos, que reelegeu Rosinha com uma votação histórica.   

Em defesa dos professores

Os ensinadores de bichos não racionais, quaisquer que sejam, são denominados treinadores. Os ensinadores de bichos racionais, são denominados professores. Os primeiros, por temerem a reação dos bichos, geralmente preparam-se para evitar ou reagir a qualquer ação agressiva. Os segundos não estão preparados justamente porque iludem-se acreditando no uso da racionalidade por parte dos aprendizes e seus donos. E as leis protegem os bichos racionais sem levar em conta que a razão existe em potência, mas não significa que seja usada.

Moral da história: os professores sofrem ameaças de agressão veladas e explícitas e, algumas vezes, agressões de fato, como a que foi vítima uma colega do Parque Alvorada esta semana. Os poderes públicos (executivo, judiciário, legislativo) tendem a culpar os professores. Reconheço que toda regra tem exceção e que pode haver um ou outro professor que abusa da autoridade. Coisa rara. E que entre os aprendizes e seus donos há os dotados de razão que usam-na.

Um professor acusado de alguma coisa é notícia, motivo de investigação, inquérito, suspensão, ameaça de demissão etc.. Um aprendiz ou seu dono acusado de algo nada sofre. No que se refere ao constrangimento, o professor sente muito. Já o aprendiz ou seu dono, em geral, não dá a mínima importância. Conheço animal com medo, mas nunca sofrendo por constrangimento.  

Já que estamos ainda no clima eleitoral, uma analogia cabe aqui: o candidato suspeito de comprar votos é detido e processado, sofre constrangimento, pode perder o mandato se eleito etc.. Quem vende o voto sofre o que? Até porque, em geral, nada tem que possa perder (nem dignidade, nem bens, nem nome, enfim, nada). 

Não creio que as leis devam ser mudadas, mas a aplicação delas merece um debate mais aprofundado. No município, os novos vereadores poderiam, envolvendo professores, diretores de escolas, pedagogos, supervisores escolares, vigias e promotores, discutir a questão e encontrar meios de evitar situações como essa da qual foi vítima a colega do Parque Alvorada. O agressor (aprendiz ou seu dono) deve sofrer penalidade para que, pela coerção, os demais (aprendizes e seus donos) não sintam-se motivados a fazer o mesmo. 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Lula quer o PT debatendo o Mensalão "de cabeça erguida"

É impressionante a desfaçatez do ex-líder sindical que tornou-se presidente da República e quer ser conhecido como Pai da Pátria. O petróleo da Bacia de Campos salvou o país e Itamar Franco soube controlar o sistema financeiro num dos momentos difíceis da economia brasileira. Fernando Henrique ganhou os louros. Mas Lula veio depois, recebeu o aconchego da mídia e ficou como o "salvador da Pátria", pelo menos momentaneamente. Agora, quer que o nosso povo esqueça o Mensalão e prepara o caminho para ser novamente Presidente. 

E, com a maior cara de pau, segundo publicou a Folha de São Paulo, conclama o seu partido a "debater (o Mensalão) de cabeça erguida. Cara de pau. Disse ele, segundo matéria da Folha: 

"Vamos discutir problemas das cidades. Mas, se formos chamados de mensaleiros, não podemos deixar sem resposta. Vamos debater de cabeça erguida", conclamou Lula, segundo Jorge Coelho, integrante da Executiva Nacional.

Abaixo, algumas fotos emblemáticas de Lula: 

Lula e Sarney

Lula e Renan Calheiros

Lula e Collor de Mello

Lula e Maluf (Haddad no meio)

Lula e o cassado Arruda

Lula e Edir Macedo

Lula e Ricardo Teixeira

Zé Dirceu, (quem diria?) foi condenado


E aconteceu o que muita gente não acreditava: a condenação de Zé Dirceu, o principal chefe da quadrilha do Mensalão. Na verdade, o chefão é Lula, mas este foi blindado e, dizendo que de nada sabia, não foi investigado no maior escândalo da República (o que causou a cassação de Collor de Mello é pinto diante desse). 


Repriso aqui uma publicação deste blog em agosto, quando o julgamento começou. Dos 38 envolvidos diretamente, a maioria já foi condenada Mas os principais responsáveis pela roubalheira encabeçada pelo Partido dos Trabalhadores e denunciada publicamente por Roberto Jefferson (já condenado), estão nesta postagem. 

José Dirceu

Acusação: Chefe da campanha que elegeu o ex-presidente Lula em 2002, negociou, segundo a Procuradoria, acordos com os partidos políticos que apoiaram o novo governo e a criação de um esquema clandestino de financiamento que distribuiu recursos ao PT e a seus aliados para garantir apoio no Congresso.
Crimes pelos quais foi acusado: formação de quadrilha e corrupção ativa


José Genoíno

Acusação: De acordo com a Procuradoria, participou das negociações com os partidos aliados e com os bancos que alimentaram o valerioduto e orientou a distribuição do dinheiro do esquema
Crimes pelos quais foi acusado: formação de quadrilha ecorrupção ativa


Delúbio Soares

Acusação: Responsável pelas finanças do PT na campanha presidencial de 2002 e no início do governo Lula, negociou com Marcos Valério a montagem do esquema, segundo a Procuradoria, e orientou a distribuição de recursos para os partidos aliados ao governo. De acordo com a denúncia, mandou assessores sacarem R$ 550 mil do valerioduto.
Crimes pelos quais foi acusado: formação de quadrilha ecorrupção ativa


João Paulo Cunha

Acusação: De acordo com a Procuradoria, recebeu R$ 50 mil do valerioduto para contratar uma das agências de Marcos Valério, a SMP&B, quando presidia a Câmara dos Deputados, e foi beneficiado pelo desvio de recursos públicos repassados à agência.
Crimes pelos quais foi acusado: lavagem ou ocultação de dinheirocorrupção passiva e Peculato


Marcos Valério
Acusação: Segundo a Procuradoria, ele criou o esquema clandestino que financiou o PT e outros partidos governistas, desviando recursos obtidos com contratos de publicidade firmados com o Banco do Brasil e a Câmara dos Deputados e usando empréstimos fraudulentos dos bancos Rural e BMG para disfarçar a origem do dinheiro

Cleber Tinoco responde ao blog no seu blog


O advogado Cléber Tinoco, em seu blog, responde a uma postagem minha, na qual critico sua insistência em dizer que Rosinha é "ficha suja". 


Caro Avelino, 

O futuro dirá se o mandato de Rosinha estará ou não ameaçado! Agora, para debater o que escrevi terá que se habilitar em algum curso jurídico.   
Com ataques pessoais irrefletidos e desarrazoados não promove o esclarecimento de quem quer que seja.  Engana-se a respeito de um possível interesse meu de compor os quadros do Governo, do qual faz parte e cegamente defende. Nunca precisei bajular alguém para conseguir alguma coisa na vida, tudo que conquistei foi por mérito próprio. Por isso mesmo, desfruto de total independência para expor a minha opinião. 
Não entendo porque insiste em recordar o passado para escapar dos bons exemplos espalhados pelo Brasil, que, se seguidos, elevariam o o nível de gestão e eficiência administrativa. A argumentação é uma arte, mas deve estar acompanhada de boas  e consistentes proposições. 
Não é a primeira vez que lança ataques pessoais para defender o indefensável.  Não devemos perder o foco sobre o que se discute. Talvez não tenha notado, mas o campo sobre o qual se imiscui é jurídico, não comporta teses de outra ordem. 
Tese jurídica, Avelino, se rebate com tese jurídica. Abraço, Cleber Tinococomo perder peso

Eu digo:

De acordo com sua postagem, questões jurídicas (de interpretação) devem ser discutidas apenas por causídicos. Diria, claro, que questões políticas devem ser discutidas por políticos; questões filosóficas, por filósofos; questões educacionais, por educadores; questões econômicas, por economistas e assim por diante. 
Sem comentários. Apenas um lembrete: 

As leis não foram, não são e não serão elaboradas por advogados. Elas mudam de acordo com a mudança dos costumes de cada sociedade. E as leis não têm uma relação direta com a Justiça. Em geral, são injustas.