Avelino Ferreira, 63 anos, brasileiro, casado, sete filhos, sete netos. Jornalista; escritor; professor de Filosofia.







quinta-feira, 31 de maio de 2012

Garotinho lança mais um livro nesta sexta no Trianon

Convite para o lançamento do livro de Garotinho amanhã, no Trianon

As pessoas, em geral, se perguntam: como pode o Garotinho cuidar da família, esposa, filhos e netos, participar das comissões na Câmara Federal, ser assíduo no plenário, manter seus blogs, dirigir sua empresa no Rio, fazer programas de rádio diariamente, participar de entrevistas em rádios, TVs e jornais em diverss municípios do Estado, coordenar o PR na capital e em todos os municípios do interior, participar dos cursos de evangelização e de cidadania como professor, além das reuniões com ministros de Estado, deputados, prefeitos, vereadores, participar de inaugurações e encontros políticos em Campos, torcer pelo Goytacaz, e ainda conversar com simpatizantes e cabos eleitorais? 

Além disso tudo, impossível para uma pessoa comum, Garotinho elabora emendas e leis e escreve livros. Um fenômeno! Sua liderança política não ocorreu por acaso ou porque foi ungido e galgou o poder. Forjou na luta a sua liderança, reconhecida nacionalmente. O Lula, por exemplo, era uma liderança sindical, mas só se tornou uma liderança política após anos e anos sendo conduzido por um bom grupo de notáveis. Na verdade tornou-se uma liderança política após assumir a Presidência da República. 

Garotinho é uma liderança desde jovem e nunca teve os tais notáveis (chamavam de "luas pretas"). Teve o apoio do Brizola, sim, mas Brizola serviu como exemplo. Um excelente exemplo, por sinal. Porém, Garotinho teve muita dificuldade no PDT e só com sua determinação, sua sabedoria e sua persistência é que conquistou seu espaço. Obviamente ninguém conquista nada sozinho, mas o grupo que o segue reconhece sua liderança e sabe de sua importância no processo político regional, estadual e nacional. 

     

Partidos da base aliada à Rosinha se reúnem para tratar das convenções

Vladimir Garotinho, presidente do PR, coordena a reunião 

dos partidos políticos aliados à prefeita Rosinha Garotinho

Os presidentes dos partidos políticos da base aliada e que compõem a coligação Campos de Todos Nós, que objetiva eleger a maior bancada na Câmara Municipal da história do município e reeleger a prefeita Rosinha Garotinho reuniram-se ontem na sede do PR, sob a coordenação do presidente do PR em Campos, Vladimir Garotinho, para tratar das convenções que se realizarão no mês de junho.

São 14 partidos cujas nominatas (listas de pré-candidatos a vereador) somam aproximadamente 400 lideranças, das quais cerca de 120 são mulheres (a lei de cotas estabelece 30% das vagas para as mulheres como uma maneira de forçar a mulher a participar do processo eleitoral). Até segunda-feira todos os partidos devem decidir e comunicar as datas de suas convenções. Mas a do PR já está marcada: será dia 17. O PSB, dia 24 e o PTC, dia 29. 

Participam da coligação os partidos PR, PTB, PTC, PSC, PRB, PRTB, PHS, PMN, DEM, PP, PSDB, PSB, PTN e PT do B. Na avaliação do ex-governador e deputado federal Garotinho, liderança maior da coligação, das 25 cadeiras da próxima Câmara, esses partidos devem eleger mais de 20 vereadores.

PTB e PSDB preparam suas convenções

Edson Batista e Robson Colla

Edson, Robson Colla, Avelino e Fernando Machado

O vice-presidente do PSDB em Campos, Robson Colla, reuniu-se com o presidente do PTB, Edson Batista, o vice, Avelino Ferreira e o secretário geral, Fernando Machado, na última terça-feira, para acertar os detalhes da convenção que os partidos realizarão em junho. Foi discutida a nominata das duas legendas e Robson Colla  ficou de conversar com o presidente local do PSDB, Geraldo Coutinho e, na próxima segunda-feira, o PTB e o PSDB deverão definir a data de suas convenções.

Edson Batista disse que, na segunda-feira às 19 horas, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, todos os pré-candidatos do PTB vão se reunir para acertar o formato da convenção, local e horário. Com mais pré-candidatos que o número de vagas que cabe ao partido, a executiva do PTB tem um problema a ser resolvido. Mas Edson Batista disse que não haverá problema, "até porque há um limite de vagas e todos nós sabíamos da legislação, que impõe limites".

Os dois partidos têm direito a apresentar ao TRE 50 nomes, sendo 35 homens e 15 mulheres (a cota que obriga a legenda a ter 30% de mulheres candidatas não pode ser alterada, pois foi a maneira encontrada para que ais mulheres participem do processo eleitoral). Mas os dois partidos têm muito mais nomes que o limite imposto pela legislação. Mas os dirigentes acreditam que os filiados e interessados em participar das eleições têm consciência da questão e não haverá problema. 

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Sobre o discurso agressivo de Nahim

(Nelson discursa no plenário da Câmara (foto: site da Folha da Manhã)

Quado li trecho do discurso ofensivo da deputada Cidinha Campos à família Garotinho, com baixaria, revelando completo desequilíbrio mental, o que provocou risos de Clarissa que disse ter pena da deputada do PDT, fiquei pensando nos discursos ofensivos do vereador Marcos Bacelar e, agora, pela primeira vez na sua história como vereador, as palavras ofensivas de Nelson Nahim.

Como um político que deseja a confiança da sociedade pode baixar o nível dessa maneira? Nelson Nahim mostrou pela primeira vez (pela primeira vez também Garotinho aceitou romper politicamente com ele, o que torna seu futuro político incerto, já que sempre foi apoiado pelo irmão) seu descontrole emocional, levando para o lado pessoal e, por isso, sentindo no fígado, uma questão política. Até porque à sociedade não interessa os problemas pessoais dos políticos.

Ao dizer que Rosinha é uma "prefeita de mentirinha", Garotinho é "um ditador a la Pinochet", Edson Batista é "um vassalo e bajulador" e o deputado estadual Marcus Vinícius, presidente do PTB estadual é um "deputado papelão", o vereador Nelson Nahim mostra um descontrole emocional que acaba descendo muito o nível do debate político. 

Conheço Nahim há décadas e sempre nos respeitamos. Ele, como pessoa, como vereador e como prefeito nos meses de afastamento de Rosinha, sempre me tratou com muito respeito e teve a reciprocidade devida, embora soubesse que sou amigo de Rosinha e lutava para seu retorno ao cargo, de onde havia sido afastada injustamente.

Quanto ao episódio envolvendo o PTB, sempre dissemos (eu e Dr. Edson) que fazia parte das negociações políticas, normais quando se avizinha uma campanha. Quando disse que seria um golpe a destituição da executiva em Campos, estava com a razão, porque nunca o PTB ficou tanto em evidência, com cursos, encontros, uma boa nominata, um grande número de filiados novos. Mas não acreditava que a executiva estadual desrespeitasse o acordo, pelo qual o PTB, em cada município, teria liberdade para fazer as coligações. 

Se alguém ou um grupo tinha o direito de ficar indignado no episódio, seria Dr. Edson, seria a executiva municipal da qual eu faço parte. Em nenhum momento fizemos referência a Nelson Nahim de maneira leviana ou ofensiva. Pelo contrário, declaramos que as tentativas de cooptar siglas fazia parte do processo político. Mas que confiávamos na executiva estadual e no nosso trabalho. 

Por isso causa estranheza os discursos inflamados do vereador Nelson Nahim, com termos que ele não costuma usar e que depõem contra ele mesmo. Se escolheu outro caminho que não o nosso, se decidiu não mais seguir a liderança de Garotinho, já o dissemos, é um direito seu. Mas descer o nível do debate político, igualando-se a, por exemplo, Marcus Bacellar, que nunca se preocupou com postura, com decoro, é lamentável. 

Espero, sinceramente, que ele retome o discurso político. A oposição que hoje lhe tece elogios, assim como fez em relação a Roberto Henriques, amanhã estará contra ele. Ficará sem grupo, isolado como tantos que conhecemos e que se fizeram sob a liderança de Garotinho e não conseguiram, ao buscar outros caminhos, senão o ostracismo e/ou o espaço para críticas sem crédito na sociedade para levá-las a sério.       

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Lula e sua ética

Quando li na Folha de São Paulo, sábado, que o ex-presidente Lula abordou  o ministro do STF Gilmar Mendes, sugerindo adiar o julgamento do "mensalão" e que controla a CPI do Cachoeira, pensei em escrever algo. Mas outros afazeres não permitiram que eu o fizesse. Tanto que nada postei após a manhã de sábado. Agora, leio o blog do Garotinho e o comentário abaixo diz tudo que penso. Por isso, reproduzo-o aqui:


Reprodução da revista Veja

O ex-presidente Lula pode ter uma popularidade recorde, mas a população esclarecida sabe que é adepto de práticas nada republicanas. Tanto assim que virou "amigo de infância" de Sarney, Renan Calheiros, Jáder Barbalho e outros que ele antes de chegar ao poder chamava de cânceres.

Uma coisa é Lula diante da descoberta do Mensalão dizer "Eu não sabia" ao se referir ao que acontecia do lado do seu gabinete, na sala do então todo-poderoso ministro da Casa Civil, José Dirceu, o comandante de todas as operações. Ou então dizer que o Mensalão é invenção da imprensa e que nunca existiu. No campo da retórica cada um diz o que quer.

Mas é absolutamente absurdo e inconcebível, o ex-presidente Lula pressionar ministros do Supremo Tribunal Federal para adiarem o julgamento do Mensalão, chegando ao disparate de tentar constranger o ministro Gilmar Mendes, conforme poderão ler abaixo no relato da Veja. É gravíssimo esse "lobby" de Lula, mas revela também o tamanho do desespero do PT. Lula não se conformando com a posição neutra do ministro-relator do Mensalão, Joaquim Barbosa o chama de "traidor" e até "complexado". Isso porque foi ele quem o nomeou para o STF, e na sua linha de pensamento, esperava do ministro Joaquim Barbosa uma postura subalterna.

sábado, 26 de maio de 2012

Garotinho: "quem está com Nelson Nahim, está contra nós"


Garotinho falando para as lideranças do PTB ligadas a Edson Batista

Ontem, na rádio O Diário FM, no programa entrevista coletiva, ficou esclarecida de uma vez por todas a questão do PTB em Campos, que está gerando tanta polêmica, justamente porque a Folha da Manhã e muitos locutores de diversas rádios reproduziram as notícias de que o presidente da Câmara, Nelson Nahim, teria conseguido tirar o PTB de Edson e colocaria o partido na oposição à prefeita e ao grupo de partidos coligados, capitaneados pelo PR e  liderado por Garotinho, que é o presidente regional do PR. 

Garotinho disse: quem estiver com Nelson Nahim, está contra nós. Vamos deixar as coisas bem claras: quem estiver com Nelson Nahim, está contra nós.

Com isso, Garorinho deixou claro que, politicamente, Nahim está na oposição. Esclareceu que Nahim é seu irmão, ao qual perdoou muitas vezes e é capaz de perdoar novamente "a tentativa de chantagem, dizendo que tem coisas a dizer contra mim"; e, ainda, às declarações publicadas na Folha contra ele, Garotinho. Mas politicamente, Garotinho repetiu que "está claro que Nahim escolheu o lado de Marcos Bacellar, Odisseia, Sivaldo Abílio" e que isso foi uma escolha dele. E repito: se tem algo contra mim, fale. Eu, quando denuncio  (Cabral e a gangue dos guardanapos) eu mostro documentos, provo. Que meu irmão faça o mesmo".

Ao arguir Dr. Edson Batista sobre a tentativa de golpe para que ele, Nahim, assumisse o Partido em Campos, colocando para presidir a executiva o seu amigo Álvaro Barbosa, Garotinho ouviu do médico e ex-vereador que "ele (Nahim) foi ao Rio, conversou com Marcus Viníciuis (presidente do PTB estadual) e voltou dizendo que o PTB sofreria uma intervenção. A Folha da Manhã divulgou, acrescentando que eu e o pré-candidato Luis Alberto, o Neném, não teríamos vagas". 

Sem acreditar que isso ocorresse, Edson, no entanto, reuniu todos os pré-candidatos e, colocada a questão, todos assinaram uma nota de apoio à reeleição de Rosinha e que, caso o PTB fosse para a oposição, deixariam o partido e abririam mão se suas candidaturas. Ao saber disso, num encontro que teve com o deputado Garotinho, o deputado Marcus Vinícius falou que dessa maneira, o partido nem nominata teria para disputar o pleito deste ano, o que se configuraria numa derrota da legenda.

Edson e o presidente estadual do PTB Marcus Vinícius

Marcus Vinícius marcou uma uma reunião para ontem à tarde, no Rio, com a executiva local, para conhecer os detalhes dessa questão, que gerou polêmica em Campos. A executiva, sob a liderança de Edson Batista, foi ao Rio e mostrou ao deputado como o PTB está organizado em Campos, os cursos que tem promovido, a união dos pré-candidatos em torno do projeto capitaneado pelo Garotinho e pela prefeita Rosinha Garotinho e a disposição de todos abrirem mão das suas candidaturas caso o PTB fosse para a oposição.

Em seguida, Marcus Vinícius declarou que o partido em Campos continuaria sob a liderança de Edson Batista, que poderia, inclusive, dada sua organização, constituir um Diretório definitivo. Após explicar tudo isso, Edson Batista disse a Garotinho que estava claro que Nahim assumiu sua posição política, de ser contra o grupo político liderado por ele e pela prefeita Rosinha e que vai atender ao pedido de Nahim, de que esquececem dele. 

Marcus Vinícius com a executiva do PTB em Campos no Rio

Com os esclarecimentos de Garotinho e Edson Batista nesta manhã, na rádio O Diário FM, não há nenhuma dúvida de que o PTB não só não sofrerá nenhuma mudança de rumo bem como a executiva, principalmente Edson Batista, que é seu presidente, sai mais fortalecido do episódio, ganhando, inclusive, elogios do deputado Marcus Vinícius "pela forma como vem conduzindo o partido, que se fortalece a cada dia na cidade de Campos".  

PTB reafirma apoio à executiva em Campos

O site do jornal O Diário, odiarionews campos, publicou ontem à noite a seguinte matéria:

PTB reafirma apoio em Campos

Apoio: Ex-vereador Edson Batista esteve com
o presidente estadual do PTB, Marcus Vinícius

O PTB rechaçou de vez o que seus dirigentes qualificaram de “boataria” de onde surgiram rumores de que a legenda mudaria de rumo em Campos. A reafirmação do pacto ocorreu numa reunião no Rio entre membros da Comissão Provisória Municipal do partido e a Executiva Estadual, com direito a fotos e acenos positivos do deputado estadual Marcus Vinícius, presidente regional do partido.

“O PTB mantém diálogos com todos os partidos, mas a Executiva Estadual confere total autonomia aos presidentes de seus diretórios municipais para firmar acordos na eleição majoritária ou proporcional com outras legendas. Não há como ser diferente em Campos, onde a sigla passará a contar agora com um diretório municipal, ao invés de uma comissão provisória”, disse o secretário do PTB estadual, Rodolpho Maldonado.

De acordo com o ex-vereador Edson Batista, presidente do PTB em Campos, as especulações veiculadas nos últimos dias em alguns setores da imprensa campista dando conta de que o partido passaria para a oposição foram boatos sem fundamento, com a finalidade de desestabilizar o partido. Chegou a ser noticiado que o PTB estaria caminhando para as mãos do ex-presidente da Campos Luz, Álvaro Barbosa, do grupo do vereador Nélson Nahim (PPL).
Boatos sem fundamentos
“O que surgiu aí (em Campos) foram boatos sem nenhum fundamento apenas para desestabilizar o partido”, disse por telefone o ex-vereador. “Fizemos ver ao deputado Marcus Vinícius que o PTB em Campos é um partido vivo, revigorado, inserido na sociedade, com uma nominata de mais de 40 candidatos que pode nos levar a eleger três vereadores”, disse.

Segundo o ex-vereador, a reunião serviu também para consolidar o posicionamento do partido nas próximas eleições. “Foi um encontro muito positivo, que serviu para consolidação do partido junto à Executiva regional e afastar qualquer boato de que a sigla passaria para o lado dos nossos adversários”, opinou.
Ao encontro no Rio, além de Edson Batista, estiveram presentes o vice-presidente Avelino Ferreira, o secretário geral Fernando Machado e o diretor financeiro Amaro Martins.


O sonho acabou para Arnaldo Vianna e a oposição em Campos




É impressionante a cara de pau do ex-prefeito de Campos, Arnaldo Vianna, do jornal Folha da Manhã e de alguns blogs campistas que levam dinheiro da oposição, que hoje afirmam que ele pode ser candidato a prefeito de Campos. A reprodução acima é do site do TSE e deixa claro que Arnaldo Vianna, que comandou o maior esquema de corrupção montado na história da cidade de Campos, está inelegível.

É o fim da linha para Arnaldo Vianna. Por um lado é bom que vocês guardem o nome desses blogs que mentem descaradamente, para verem que não têm qualquer credibilidade, estão no bolso de Arnaldo e do deputado Roberto Pinóquio Henriques.

A tática agora é tentar confundir a população enquanto discutem o que fazer, afinal com Arnaldo Vianna inelegível, resta à oposição de Campos ir com Roberto Pinóquio Henriques (PSD), completamente desmoralizado na cidade, que não consegue passar de 2% nas pesquisas. Ou então inventarem alguém para disputar com Rosinha que tem a aprovação de mais de 80% da população e que as pesquisas mostram que se a eleição fosse hoje ganharia disparada logo no 1º turno. E é bom destacar que nessa pesquisa ainda constava o nome de Arnaldo Vianna. Sem ele a situação da oposição é ainda mais desesperadora.

Não adianta mentir Arnaldo! O sonho acabou!

* do Blog do Garotinho replicado pelo blog do Pudim



PTB regional reafirma apoio à Rosinha e à executiva municipal

Edson Batista e o deputado Marcus Vinícius

Edson, Marcus Vinícius, Avelino, Fernando e Amaro

Dando prosseguimento ao que foi acordado com a executiva regional do PTB, na tarde de ontem, sexta-feira, a executiva do PTB de Campos reuniu-se com o presidente da executiva estadual, deputado estadual Marcus Vinícius, no Rio de Janeiro.

Na oportunidade, Marcus Vinícius, após receber o documento com a assinatura de todos os pré-candidatos do PTB à Câmara, de apoio à Rosinha e de respaldo à executiva municipal, disse que não há a mínima pssibilidade de qualquer interferência no partido em Campos.

"Temos conhecimento da organização do PTB em Campos, dos cursos promovidos pela executiva municipal e sabemos da integridade do Dr. Edson Batista e do seu empenho para o crescimento da legenda. Em Campos, o Partido tem autonomia e vai continuar apoiando a prefeita Rosinha Garotinho".

Disse ainda que a data da convenção municipal será decidida pela executiva local e, devido a solidez do partido no município, a executiva municipal "tem nosso aval para formar um Diretório efetivo, permanente". Sobre a onda de boatos de que o partido sofreria uma intervenção, Marcus Vinícius disse que isso é normal às vésperas das convenções, mas reafirmou a confiança em Edson e na executiva municipal.

Marcus Vinícius posou para uma foto com a executiva local (Edson Batista, presidente, Avelino Ferreira, vice, Fernando Machado, secretário geral e Amaro Martins, tesoureiro), para não pairar dúvidas quanto a afinidade da direção regional com a direção municipal do partido. 

O resto, como afirmamos antes, é boataria que não deve ser levado em consideração.   

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A moral dessa gente não resiste a um vento nordeste

Os interesses escusos, obviamente, são velados. Redundância. Eu e o Dr. Edson Batista agimos com transparência na vida pública. Não enganamos ninguém e, por isso mesmo, temos crédito na sociedade. Podem discordar das nossas idéias, dos princípios que defendemos, mas não podem nos acusar de agirmos nas sombras. Muito menos de agirmos motivados por interesses pessoais.

Minha história e a história de Dr. Edson é de coerência. Qualquer pessoa que fizer uma análise de nossas vivências na política, constatará que nunca obtivemos vantagens pessoais. Ao contrário. Eu, particularmente, faço política desde muito jovem e nunca ocupei cargos públicos até 2009 (quando dirigi o Teatro de Bolso (1996/1998) havia sido eleito para tanto pelos artistas de teatro.

Nutro uma amizade e uma admiração pelo Garotinho e pela Rosinha desde 1979 que nunca foram motivadas por interesses, mesmo quando galgaram os degraus do poder e da fama. Portanto, não fazemos política olhando para o próprio umbigo. A sociedade sabe disso. Até nossos adversários sabem disso.

Eu e Dr. Edson estivemos, em momentos distintos e por motivos distintos, em meio a polêmicas que ganharam a mídia. Exercendo vários cargos de importância no Estado e no município, sendo vereador por três mandatos, Dr. Edson jamais colocou seus interesses individuais acima do coletivo.  Agora, novamente, estamos em meio a um disse-me-disse, desta feita com relação ao PTB, que tem na presidência o Dr. Edson e, na vice-presidência, Avelino Ferreira. E qual o motivo real dessa boataria?

Após a eleição de 2010, quando fomos traídos por Roberto Henriques que, já deputado, enalteceu Sérgio Cabral e passou a defender o governador, Dr. Edson, que apoiou Pudim, me chamou para ajudá-lo a organizar o partido visando já a eleição deste ano de 2012. Ao final de 2011, o PTB contava com uma organização e uma nominata invejáveis. Os filiados aumentaram e passaram a frequentar as reuniões e os cursos que oferecemos.

Em março de 2012, os boatos de que o PTB sofreria uma intervenção e passaria para a oposição ganharam espaços midiáticos. Não era verdade, mas os boatos, embora sem espaço na mídia, continuaram. Este mês, a classe política de Campos já sabia desde a primeira semana, que o PTB sofreria uma intervenção. E, ná última semana, a Folha da Manhã chegou a publicar, com base em "fonte segura" que Nelson Nahim, presidente da Câmara e membro do recém fundado PPL, já estava "de posse" do Partido em Campos, que seria presidido pelo seu amigo Álvaro Barbosa.

Arguido a respeito, disse que a situação do Partido não mudara e, caso ocorresse o que se propalava, seria um golpe. Mas não acreditava que a executiva regional implodisse o PTB local. Para acabar de uma vez por todas com os boatos, Dr. Edson reuniu a executiva local e, juntos, decidimos reunir todos os pré-candidatos para saber o que pensavam a respeito e, caso o partido fosse para a oposição à Rosinha, o que faríamos. Elaboramos uma nota que seria lida na reunião, manifestando o apoio à Rosinha e a união do grupo em torno do projeto que sempre defendemos, capitaneados pela liderança maior dos partidos coligados, o deputado Garotinho.

Todos os pré-candidatos assinaram a nota. Para nós, do PTB, o caso estava e está encerrado. Mas os boatos continuam. Agora, não é só o PTB que irá para a oposição, segundo a "central de boatos", mas também o PHS, o PSB e o PT do B. O motivo só pode ser a falta de sustentação política e de projetos que possam angariar simpatias e votos da população por parte da oposição. A oposição ao nosso projeto teme a falta de legendas para conquistar cadeiras na Câmara e tenta cooptar os partidos organizados e com boas nominatas para garantir-se.

Nós, do PTB, repudiamos essa prática. Fazemos política buscando o bem do nosso povo, com mandato ou sem mandato. Na realidade, o mandato é fruto do nosso trabalho em prol do povo e não de negociatas espúrias, na calada da noite, com o intuito apenas da manutenção ou conquista do poder para benefícios pessoais. Por isso estamos tranquilos. E acreditamos no bom senso da executiva regional que, como nós, quer um partido fortalecido, com pessoas de bem que envidem esforços para, cada vez mais, melhorar a qualidade de vida da população.

Nossa história, minha e de Edson Batista, é o nosso "cartão de visita", vai na nossa frente. Por isso, nada tememos, embora saibamos que os oportunistas estão sempre a espreita. Se não para vencer uma disputa, pelo menos satisfazer o ego com a queda de um oponente por um golpe sujo. Coisa de gente doente.

O que nos move (isso essa gente doente se nega a admitir que possa existir) é o bem-estar da nossa população, mormente a mais pobre. O que nos move passa ao largo de interesses mesquinhos. O que norteia nosso rumo está amalgamado à ética, com base em princípios universais e inabaláveis. Essa gente que tenta macular a nossa imagem não resiste a uma comparação de nossas trajetórias com as suas. Motivo maior: a moral dessa gente não resiste a um vento nordeste.

terça-feira, 22 de maio de 2012

CPI do Cachoeira: advogado que defende bandido...

Se qualquer depoente pode se calar numa Comissão Parlamentar de Inquérito, então, não adianta deputados e senadores convocarem qualquer acusado. Claro que sabemos que nem todos têm um advogado tão importante e tão caro como Márcio Thomaz Bastos, contratado pelo Carlos Cachoeira. Mas todos que forem convocados podem permanecer calados. Então, para que a convocação?

Estou assistindo a sessão da CPI e fico indignado e estarrecido. E penso em como consideramos como "grande sujeito" um advogado que defende um bandido contumaz, um bandido confesso. Sei que todos têm direito a um advogado. Mas que um sujeito que jura pautar sua vida em defesa do bem, da justiça, da nação, defenda a bandidagem é, no mínimo, estranho.

A lei é igual para todos e os advogados têm o dever de usar de todos os meios legais possíveis para defender seus clientes. Mas os advogados podem recusar casos e clientes. Se defendem bandidos por dinheiro, é porque joga por terra suas juras de bem, de justiça. Ainda mais quando esse advogado é um ex-ministro.

Se é por dinheiro que faz com que seu cliente zombe da nação, então, fica claro que o bem maior é o dinheiro. E se esse dinheiro vem do roubo praticado conta o povo brasileiro, quero uma palavra para caracterizar esse advogado, seja ele Thomaz Bastos ou qualquer outro menos famoso.   

Xuxa em quatro tempos e em versões diversas do Fantástico


Xuxa em entrevista no Fantástico

Mesmo se a apresentadora Xuxa Meneguel, 49, fosse hoje à Justiça para denunciar os abusos sexuais que ela relatou ter sofrido na infância não haveria nenhuma punição possível para quem a atacou. Em entrevista ao "Fantástico" anteontem, Xuxa revelou que foi vítima de violência até os 13 anos (1976). Caso ela oficializasse a acusação de estupro, o crime teria prescrito em 1992.

A apresentadora citou que foi abusada por ao menos três pessoas, mas não disse os nomes. Ela contou que isso ocorreu na infância e na adolescência, especificando apenas a idade em que sofreu o último abuso. Xuxa fez a revelação ao comentar seu engajamento em campanhas contra a palmada e abusos contra menores.

"Eu abracei essas causas todas porque eu vivi isso. Na infância, até a minha adolescência, até os 13 anos, eu vivi isso. Pelo fato de eu ser muito grande, eu chamar a atenção, eu fui abusada."

Os abusos, contou Xuxa, foram cometidos por pessoas ligadas ao seu meio familiar. Um dos agressores, disse, era namorado de sua avó. O outro, o melhor amigo de seu pai. "Que queria ser meu padrinho", declarou. Ela citou ainda um professor. "Não foi uma pessoa, foram várias, em momentos diferentes."

Xuxa diz ter se calado por tantos anos por vergonha. "Me sentia suja, me sentia errada. E, se eu não tivesse a minha mãe, se não tivesse o amor da minha mãe, teria ido embora. Só que eu não falei para a minha mãe, não tinha coragem. A maioria das crianças não fala."

Ontem, Xuxa agradeceu o apoio de fãs no Facebook. E encerrou: "Não me sinto bem falando mais desse assunto".

A ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) afirmou nesta segunda-feira que a apresentadora Xuxa teve uma "atitude de coragem" ao afirmar em depoimento ao "Fantástico", da Rede Globo, ter sofrido abuso sexual "até os 13 anos"


"A atitude da apresentadora representa importante apoio às pessoas que sofreram violência na infância", afirma a ministra em nota divulgada pela assessoria de imprensa da pasta. No depoimento, dado ao quadro "O que Vi da Vida", Xuxa afirmou que um dos abusadores era namorado de sua avó e outro, melhor amigo do seu pai.


A apresentadora disse que o sofrimento a fez querer "lutar pelas crianças". Em nota, a Secretaria de Direitos Humanos ressaltou que Xuxa "é uma das principais parceiras na divulgação" do Disque 100, serviço mantido pelo governo federal para receber denúncias de violações de direitos humanos.


Até abril deste ano, o número recebeu 7.671 denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes (exploração sexual e/ou outros tipos de violência sexual).

Do site Cenário MT.com.br

Xuxa já fez de tudo nessa vida para alcançar a fama. Não mediu esforços e nos anos 80 era um verdadeiro furacão sexual. Qualquer coisa, estava lá ela de roupas minúsculas, posando nua - ou quase - para revistas como Playboy, Status, Ele & Ela e Manchete.


Mais tarde, quando conseguiu seu programa de TV, Xuxa ajudou a erotizar a infância de muita gente, com suas roupas curtas e paquitas no auge da forma. Deu origem a uma geração de "loiras de sucesso" como Carla Perez e seus subprodutos.


E Xuxa quer esconder esse passado, reprovável segundo seus próprios parâmetros. Ela proíbe que se mostre fotos suas na Playboy e também tirou de circulação o filme Amor, Estranho Amor, no qual seduz um garoto de 14 anos. Como é que a Justiça concede algo assim? As obras existem, Xuxa assinou contratos aceitando participar e não foi forçada a nada. Como é que fica, por exemplo, Walter Hugo Khouri, diretor do filme? Ele não tem o direito de exibir algo que criou? Bizarro.

 
Xuxa vem agora mostrar o seu lado frágil e tira proveito disso para voltar com muita força à mídia, num momento em que está totalmente em baixa na TV. Obviamente que a questão do abuso tem de ser combatido e que ela foi uma vítima, mas há maneiras e maneiras de se fazer isso. O jeito que ela e o Fantástico escolherem parece ter sido a meneira mais fácil.

A atriz Brita Brazil, pelo Facebook, diz que Xuxa não contou a verdade, no Fantástico, de como conmheceu Pelé e dá sua versão: 


Xuxa, a loura (à direita de Pelé)
“Versão original da história de como Xuxa conheceu o Pelé (pode ser que ela tenha se esquecido): Como ela disse na entrevista ao Fantástico, que a capa da “Manchete” era uma loira (ela), uma morena (Luiza Brunet), uma negra e uma ruiva? Como? Eu era a ruiva ou a negra? No final das fotos, ele me chamou pra ver o show da Simone…
Ainda antes de começar o show fiquei visilvemente entediada, pois ele estava cheio de seguranças e pessoas ricas da alta sociedade, o papo era fútil, eu estava quase dormindo na mesa… Então ele disse: quer chamar uma amiga tua, pra te fazer companhia? Eu disse que sim. E, na época, Xuxa e eu éramos amigas. Fui à portaria do Canecão, pois não existia celular, e liguei pra ela. Ela disse que queria vir mas que não podia pagar um táxi pra tão longe (morava em Bento Ribeiro). Eu pedi pra ela esperar e fui perguntar a ele o que faríamos. Ele disse que pagaria o táxi e ela veio.
Nos divertimos muito. Esticamos até o Regine´s (boate famosa na época). No final da noite ainda fui levar a Xuxa em casa. Depois deste dia o Pelé me convidou para jantar algumas vezes. Mas o que me interessava nele era que tomasse uma posição contra o racismo, isto em 1980. Como ele viu que não ia rolar nada mais divertido do que ativismo, perguntou se eu me importaria em dar a ele o telefone da minha amiga loirinha. Eu dei imediatamente.
Logo depois eu me mudei pros States. Quando voltei, encontrei o Pelé na gravação de “Chico City”, e ele me disse q estavam juntos. Fiquei muito feliz por isto. (Na foto da capa da Manchete, Luiza Brunet, uma modelo de Brasilia que não sei o nome, Xuxa à esquerda e eu à direita)”.



ENTREVISTA A PLAYBOY EM 1996

Uma das fotos de Xuxa publicada pela Playboy

A grande repercussão da entrevista no Fantástico em que Xuxa contou dos abusos sexuais que sofreu quando adolescente – inclusive do melhor amigo do pai — me fez recordar de um caso na mesma linha que ela contou na entrevista principal da edição de agosto de 1996, celebrando o 21º aniversário de Playboy, revista de que eu era diretor de Redação.
A longa e reveladora entrevista foi realizada pelo jornalista Guilherme Cunha Pinto, o “Jovem Gui”, profissional de primeiríssima, dos melhores com que convivi, e amigo querido, que teve morte precoce e absurda, naquele mesmo ano. E traz um episódio grave, ocorrido durante a ditadura. Xuxa ainda não tinha 18 anos quando sofreu assédio sexual de um general graduado, num episódio que incluiu limusine posta à disposição e vigia na porta de um hotel.
Leia o trecho da entrevista sobre esse episódio:

Ingênua do jeito que era, como você enfrentou o assédio que deve ter acontecido depois que virou sex symbol? Houve inclusive um episódio dramático em Cleveland, nos Estados Unidos, que até hoje nunca ficou muito bem explicado. Como foi aquilo?
XUXA — Fui chamada para fazer umas fotos nos Estados Unidos, em janeiro ou fevereiro de 1980. Lembro da data porque estava para fazer 18 anos. Meu pai teve de assinar uma autorização, uma pessoa levou o contrato até em casa, no Grajaú, depositaram no banco 50% do valor e eu viajei.
No avião conversei com um militar brasileiro que me perguntou o que eu ia fazer em Cleveland. Disse que ia fotografar e ele estranhou. Me deu um cartão com o telefone dele e o nome de uma secretária. Falou: “Se precisar de alguma coisa, entre em contato comigo.” Cheguei e tinha uma limusine me esperando, com um motorista brasileiro. Eu estava toda feliz na limusine, pulando de um banco para o outro.
Falei alguma coisa com o motorista e ele perguntou: “Você sabe por que está aqui?”
Respondi: “Vou fotografar.”
Ele riu: “Te disseram que é pra fotografar? Olha, é bom saber: acho que não é isso não.”
Fiquei com um pouco de medo, mas estava me divertindo tanto… Chegando no hotel, ele perguntou se eu queria alguma coisa, e comprei um monte de pipocas, de vários sabores, e muitos doces. Quando cheguei ao quarto, tinha um guarda na porta, fardado.
O motorista disse: “Pronto. Está entregue.”
Me explicou que eu iria receber uma visita às 4 da tarde e que não poderia sair até lá. O guarda ficou do lado de fora, sem dizer uma palavra. Eu queria tomar banho, mas não achava a água quente. Abri a porta, para ver se o homem me ajudava, mas ele não se mexia. Eu disse: “O senhor não pode entrar pra arrumar o meu chuveiro? O senhor fala português?”
O motorista acabou me ligando para me alertar que não haveria foto nenhuma e que um militar graduado iria entrar no quarto. Comecei a chorar, desesperada, mas não consegui ligar para a minha família no Brasil. Estava num terceiro andar. Pensei: “Meu Deus, vou pular daqui!”
Aí me lembrei de ligar para aquele outro militar, que tinha me dado o cartão no avião. No cartão tinha o nome da secretária, Bárbara. Liguei e ela atendeu: “Bárbara?”, perguntei. Ela disse: “É.” Comecei a chorar: “Pelo amor de Deus…” Ela perguntou a minha idade. Eu disse: “Quase 18.” Ela falava: “Calma, Calma.”

Em 1980 estávamos no fim da ditadura. Hoje, passados dezesseis anos, você pode dizer o nome desse militar que chegaria às 4 da tarde em seu quarto?
XUXA — Não tive contato com essa pessoa. Não sei se o motorista falou o nome certo. Não posso falar uma coisa que não tenho certeza.
Mas era uma pessoa ligada ao governo do então presidente João Figueiredo?
XUXA - Como assim, uma pessoa do governo? Era um militar. E foi um outro militar que me tirou de lá…
Sim, o governo estava cheio de militares. Esse que ia chegar [a seu quarto] era ministro?
XUXA - Bá, não vou dizer o nome. Era um militar.
Do alto escalão?
XUXA - Alto escalão, mesmo. Cheio de estrelona.
Está vivo?
XUXA - Não sei. [Rindo, com ar impaciente.] Não sei se está vivo. Não vou falar mais sobre isso.

(Sobre matéria da Folha de São Paulo, site cenariomt.com.br e site AGORA, a notícia levada a sério e página do Facebook de Brita Brazil)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Pré-candidatos do PTB reiteram apoio à executiva local e à Rosinha


Edson Batista lê a nota oficial de apoio ao projeto

político liderado por Rosinha e todos aprovam.

Avelino diz que o PTB é cobiçado porque tornou-se forte

e tem uma excelente nominata, capaz de eleger três vereadores.

Ao final todos aplaudem a atitude da executiva.

O ex-vereador e atual suplente Joacyr da Conceição

O suplente de vereador Nenem,

o suplente de vereador Valdinei Barreto

o ex-vereador Marcos França

a líder comunitária Beatriz Mulher Guerreira

e o sindicalista Zé Rodrigues

assim como Charutinho

e Assis Rangel, reiteraram apoio à executiva local e
à Rosinha Garotinho

A executiva local do PTB reuniu, nesta noite de segunda-feira, todos os 42 pré-candidatos. Foi uma reunião que começou um pouco tensa e acabou numa explosão de alegria, com muitos aplausos e depoimentos de pré-candidatos, favoráveis a decisão de só entrarem no processo eleitoral se o PTB estiver na base de apoio à prefeita Rosinha Garotinho. Repudiaram qualquer mudança de rumo "às vésperas da convenção partidária". 

Edson Batista, emocionado com a "união do grupo" em torno do projeto político defendido por ele e pelos membros da executiva (Avelino Ferreira, Fernando Machado e Amaro Martins), estava bastante satisfeito ao final da reunião, quando voltou a dizer que confiava na executiva regional, presidida pelo deputado Marcus Vinícius, de que não haveria nenhuma mudança nos rumos traçados pelo PTB local.

PTB de Campos reafirma apoio à prefeita Rosinha

A executiva do PTB de Campos reuniu ontem 42 pré-candidatos a vereador no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Campos para que fosse esclarecida de uma vez por todas uma suposta intervenção do diretório regional, desta vez, entregando o PTB para Álvaro Barbosa, ex-presidente da Camposluz e homem de confiança do vereador Nelson Nahim, do PPL.

Em nenhum momento a executiva local duvidou da palavra do presidente regional do PTB, deputado Marcus Vinícius, de que o Partido em Campos não sofreria nenhuma intervenção, elogiando, inclusive, a atuação da executiva local, que vem desenvolvendo um excelente trabalho, de crescimento e fortalecimento da legenda com vistas à disputa eleitoral em outubro.

Quarenta e dois pré-candidatos compareceram e o presidente da executiva, Dr. Edson Batista, após reafirmar o apoio ao projeto político liderado pelo Garotinho e pela prefeita Rosinha, leu uma nota oficial elaborada pelo Partido, com quatro parágrafos, nos quais todos deixam claro os compromissos assumidos por cada um dos que pretendem concorrer a uma cadeira na Câmara. Todos concordaram e assinaram, deixando claro o apoio à executiva do PTB e repudiando qualquer aliança partidária que não seja com o PSDB.

Abaixo, a nota oficial dos pré-candidatos:

CARTA DE COMPROMISSO

DOS PRÉ CANDIDATOS DO PTB
Nós, abaixo-assinados, pré candidatos do PTB à Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes, reafirmamos nosso apoio a prefeita Rosinha Garotinho por entender que, sob sua liderança o município teve um impulso no desenvolvimento econômico, com grandes investimentos em obras e geração de empregos, colocando o município em primeiro lugar do país que mais investe em proporção à sua população.

A administração da prefeita Rosinha é pautada pelo compromisso com todos setores da sociedade, priorizando os menos favorecidos, o que pode ser constatado nas construções e reformas de escolas, creches e postos de saúde, casas populares e transferência de renda através de cheque cidadão e passagem a 1 real. Esse é o projeto que nos anima a participar diretamente do processo eleitoral para que o nosso município continue avançando.

Quanto a eleição da Câmara Municipal, a orientação definida por todos nós é coligar com o PSDB. Não há nenhuma possibilidade de colocarmos nossos nomes coligados a partidos com projetos diferentes para o nosso município. Em sintese, qualquer mudança de rumo do PTB em relação a eleição majoritária e de vereadores terá nosso repudio.

Reafirmamos nossa confiança na Direção Estadual do PTB, para que nosso partido continue a crescer e enfrentar novos embates eleitorais.

Por estarmos de acordo, subscrevemos.
Campos dos Goytacazes, 21 de maio de 2012

EDSON BATISTA
JOSÉ RODRIGUES SALES
ADRIANO FREITAS MONTEIRO
KÁTIA VENINA DOS SANTOS
AILDA SIQUEIRA PACHECO
LAÉDNA BASTOS DA SILVA
AMARO FRANCISCO SIQUEIRA FERREIRA
LAURA APARECIDA CARDOSO
ANA BEATRIZ BARBOSA VENÃNCIO
LUCIANO BAPTISTA SILVA
ANGELA BARRETO DE AZEREDO
LUIZ ALBERTO OLIVEIRA DE MENESES
AURÉLIO CORDEIRO BORGES
LUIZ ANTONIO DE AZEREDO
CARLOS AUGUSTO LUIZ
MACELO AMARO ALMEIDA
DALMIR DA SILVA BARRETO
MANOEL DA SILVEIRA DUTRA NETO
DINÉLIO RANGEL MANHÃES
MARCOS FRANÇA
ELIZABETH MOURA PAULO
ROBERTO CARVALHO MANHÃES
EVERALDO TEIXEIRA
PEDRO NÍZIO GUEDES AZEVEDO
FELISBERTO DE PAULO LEITE PESSANHA
RAMIRES MENEZES BATISTA
FRANCISCO DE ASSIS RANGEL
RENATA SILVA DE SOUZA
GENILTON DE SOUZA NETTO
RODOLFO JOSÉ RIBEIRO DA SILVA
JOACYR DE SOUZA DA CONCEIÇÃO
RODRIGO DOS REIS SERAFIM
JOÃO BATISTA PEREIRA SODRÉ FILHO
ROGÉRIO AZEVEDO MACHADO
JOCIMAR LEITE
ROGÉRIO LÚCIO DOS SANTOS
JOELÇA DA SILVA PESSANHA
RONALDO CALDAS FARIA
JORGE RANGEL CALIL
TÂNIA MARIA AZEVEDO DE SOUZA ROSA
JOSÉ LUIZ DUTRA CARDOSO
VALDINEI GOMES BARRETO

Café Literário do Centro Cultural Garotinho dia 31

Da amiga Kênia Bastos recebi a seguinte nota, via Facebook:

Querido Avelino, o café literário do Centro Cultural Antony Garotinho que seria realizado dia 17/05 foi transferido, será dia 31/05/2012.
 

domingo, 20 de maio de 2012

Sobre a declaração de amor de Vaccarezza


Reprodução da Veja online (extraído do Blog do Garotinho)

Vaccarezza, ao enviar o "torpedo" para Cabral, flagrado pelo SBT e divulgado como uma bomba em todo o país, quis dizer que o PT está com Cabral ou apenas ele e os deputados que controla na CPI? "Você é nosso" quer dizer que Cabral é deles. Mas deles, quem? Seria do Governo?

Sabemos que Lula ajuda na blindagem de Cabral, talvez porque use-o para combater Garotinho, o político que o ex-presidente mais teme eleitoralmente, segundo suas próprias palavras. Mas o Governo é comandado por Dilma. Será que Vaccarezza referiu-se à Presidente da República? Ou seja, Cabral é de Dilma e por isso o protege?

Quando Vacarezza escreve "e nós somos teu" referiu-se ao Governo Federal e, por via de consequência, Dilma Roussef? Sim, porque a frase inteira: "Você é nosso e nós somos teu" revela um ato de reciprocidade. Mas Vacarezza não tem o poder político capaz de proteger e blindar um governador, principalmente quando esse governador está muito mal perante a opinião pública. ntão, esse "nós somos teu" inclui gente de importância política muito acima dele e em condições de bancar a blindagem a Cabral.

Essa "gente importante" seria Lula e Dilma juntos? Tem sentido, porque na eleição para governador, Garotinho, hoje, é imbatível. Se Cabral não se recuperar do golpe que sofreu (um golpe moral é pior que um golpe político), Garotinho pode se dar ao luxo de indicar um candidato e este ser eleito, como ocorreu em 2002 quando, na oposição, com o PT no Palácio Guanabara e Lula em ascensão, elegeu sua esposa, Rosinha Garotinho, no primeiro turno. 

Caso isso venha a ocorrer, Garotinho pode ser candidato à Presidência da República e, como Lula já reconheceu, é o único candidato popular e com densidade eleitoral capaz de uma disputa da qual é possível sair vencedor. Com a saúde abalada, Lula pode desistir de seu sonho de retornar ao Alvorada e continuar apoiando Dilma. Mas esta só conseguirá uma boa performance se a economia estiver bem. Mesmo se assim for, Lula e Dilma sabem que um candidato popular com densidade eleitoral não será fácil de ser batido. 

Pelo sim, pelo não, Lula e Dilma não querem pagar pra ver e é melhor proteger Cabral. Segundo essa análise, puramente especulativa, a mensagem de Vaccarezza flagrada pelo SBT revela a verdadeira intenção do Governo Federal com relação à CPI do Cachoeira. Cabe a nós denunciar essas torpes manobras e é o que o deputado Garotinho tem feito, seguindo-se alguns jornalistas e um ou outro órgão de comunicação.   

sábado, 19 de maio de 2012

PTB CONVOCA PARA ESCLARECIMENTO

A executiva do PTB Campos está convocando todos os pré-candidatos do Partido para uma reunião na próxima segunda-feira, dia 21, às 19 horas, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Campos, à rua 13 de Maio, para que seja discutida e esclarecida a notícia, veiculada mais uma vez neste sábado, de uma suposta intervenção na direção local que já estaria consumada. 

É importante e imperativo que todos compareçam.

SOBRE A PROPALADA INTERVENÇÃO NO PTB

Mais uma vez especula-se sobre os rumos do Partido Trabalhista Brasileiro em Campos, com notícias, publicadas como se houvesse um fato consumado, de uma intervenção na executiva local. Desta feita, nominando o futuro interventor.

O PTB Campos é cobiçado pelos políticos contrários a Garotinho e à prefeita Rosinha Garotinho porque é um Partido organizado, com uma excelente nominata, na qual não há vereadores com mandato e que tem chances de ocupar três cadeiras na próxima composição da Câmara. 

Outro motivo é a aliança com os partidos que pretende reconduzir Rosinha Garotinho ao cargo que ocupa, na eleição de outubro. Os adversários da prefeita, sem condições de disputar o pleito porque não têm nomes capazes de conquistar o eleitorado com uma proposta contrária ao grupo político liderado por Garotinho, tentam desesperadamente uma maneira de, pelo menos, não perder espaço político, já exíguo.

A atual direção do PTB Campos não acredita em intervenção. Até porque, se caracterizaria como um golpe. E não acreditamos em golpe das lideranças estadual e nacional do Partido que, pelas relações com a executiva local até hoje, mostraram apreço pelo trabalho aqui realizado e as perspectivas criadas a partir da organização e crescimento da legenda.

Já dissemos, eu, na condição de vice-presidente, e Edson Batista, na condição de presidente, que o PTB não pode, em hipótese alguma, ser caracterizado como legenda de aluguel. Há princípios que defendemos e as alianças políticas, além de serem de conhecimento e terem a anuência da executiva regional, não ferem esses princípios. 

Os nossos pré-candidatos têm o propósito de, além de ocuparem três cadeiras na próxima Câmara, reconduzir Rosinha Garotinho ao cargo que hoje exerce, pois querem que Campos continue a crescer, com obras estruturantes, políticas compensatórias e planejamento para sofrermos o mínimo possível com o impacto do crescimento populacional esperado com os empreendimentos gigantescos do Porto do Açu e do Complexo Farol/Barra do Furado. 

O resto é especulação.     

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Os magistrados, certos ou errados, defendem seus pares

As entidades que defendem os magistrados publicaram nota repudiando as críticas de Garotinho a um deles. Alguns blogs locais publicaram a nota dos magistrados. O que faltou foi uma nota, mesmo que em "pé de página" para dizer o óbvio: as entidades dos magistrados existem para defender os magistrados. Não valem para formar opinião.

Lembro que, quando um magistrado me condenou (um deles) a pagar R$ 200 mil (ainda devo) ao então prefeito de Miracema Gutemberg Damasceno, à época, do PV, por ter eu emitido uma opinião (um pequeno artigo irônico intitulado De Pijama) sobre a declaração do alcaide, de que renunciaria ao cargo se a população não desse uma surra no seu desafeto, o ex-prefeito Ivany Samel e, ainda, me condenou à prisão, a imprensa de Campos me defendeu (quando fui preso) e a Associação dos Magistrados defendeu o tal juiz. 

Poderia ser diferente? Claro que não. As entidades de classe existem para defender seus membros. Caso contrário, não teria sentido. Exceções acontecem, mas por pressões políticas ou quando a situação fique insustentável legal e moralmente. Porém, antes de chegar a esse ponto, as entidades representativas das classes defenderão seus membros "com unhas e dentes".

Portanto, a nota das entidades que defendem os magistrados não serve para nada, senão para mostrar que os deuses (o juiz pensa que é Deus, mas o desembargador têm certeza) se unem contra os pobres mortais. 

Texto de Brizola contra a Globo no Jornal Nacional

Histórico: texto do Brizola contra a Globo no Jornal Nacional

A Veja, via Radar online divulgou nota informando que a Globo vai abrir espaço para eventos evangélicos, sendo um deles a Marcha para Jesus. O fato mereceu postagem de Garotinho que disse ficar impressionado com a hipocrisia da Globo, que sempre combateu os evangélicos mas que, desde o ano passado começou a abrir espaço para eventos gospel, porque só pensa em dinheiro.

E, no caso em tela, o apoio a Eduardo Paes que, de olho nos votos, vai participar da Marcha. Para Garotinho, e com razão, a Globo age com hipocrisia, assim como Eduardo Paes (e outros políticos), "que prega tudo que a Bíblia condena, incentiva o turismo gay na cidade, estimula as pessoas a plantarem maconha dentro de suas casas, só quer saber de festas, carnavais, micaretas, bebedeiras, incentiva a marcha da maconha e a parada gay e, agora, quer posar de evangélico?  

Mas Garotinho sabe que a Globo só consegue se manter com os favores recebidos dos governos. Aliás, Leonel Brizola foi atacado quase que diuturnamente pela Globo porque criticava o "império dos Marinho", que surgiu e cresceu na ditadura, com a TV Globo. Por isso, aproveitei para postar o vídeo em que, pela primeira e única vez a Globo usou o Jornal Nacional e Cid Moreira para criticar duramente a própria Globo, com texto do Brizola e por ordem judicial. É uma pérola nos anais da História e corrobora tudo que o Garotinho diz.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Seminário de Educação prossegue no Trianon

Tem prosseguimento, hoje, às 19 horas, o 9º Seminário Intermunicipal de Educação, organizado pela WTC, do professor Wainer Teixeira de Castro, com a conferência da mestre em Psicologia da Educação pela PUC/São Paulo, Isabel Parolin. O tema de sua conferência: "Educação, as relações que cuidam".

A outra conferência da noite é "Desafios e Perspectivas", com o doutor em Filosofia Jorge Miranda (Pontifícia Università Gregoriana). O seminário foi iniciado ontem com a conferência do Teólogo e Educador Leonardo Boff, que falou sobre "Educação, a artede cuidar".




Morre Donna Summer, aos 63 anos


Vítima de câncer, morreu hoje a cantora Donna Summer, 63 anos, na Flórida, EUA. Uma das "divas" americanas, a cantora ganhou cinco Grammy e venceu milhões de discos com sucessos que conquistaram o mundo, como "Last Dance", música bastante conhecida dos brasileiros com mais de 25 ano´s e uma "febre" nas décadas de 1970 e 80.  

Norma Bengell está numa cadeira de rodas


Uma atriz ousada e reconhecida pelos críticos e pelo público, Norma Bengell, hoje com 77 anos, está impossibilitada de atuar, porque não pode andar. Há dois anos teve uma lesão na coluna, resultado de uma queda. Precisa de uma cadeira de rodas para se locomover e de ajuda para quase tudo em casa.

Sem ganho suficiente para se manter, a atriz está passando por dificuldade financeia e, auxiliado pelo cantor baiano Binho Gomes, tenta conseguir um comprador para seu acervo pessoal (filmes, CDs e documentos importantes de sua história) que está avaliado em R$ 200 mil.

Atuando em filmes, novelas e seriados desde a década de 1960, quando fez o primeiro nu frontal no cinema brasileiro em Os Cafajestes, Norma Bengell apareceu pela última vez na telinha num episódio da série da TV Globo, Toma Lá, Dá Cá, há três anos.

Centro Cultural Garotinho promove o 39º Café Literário

O Centro Cultural Anthony Garotinho promove, hoje, às 19 horas, mais um Café Literário, com muita poesia e boa música. Os que apreciam a literatura e aqueles que desejam mostrar seus poemas ou mesmo integrar-se ao meio poético têm, no espaço, essa oportunidade.

Este será o 39º Café Literário do Centro Cultural que foi inaugurado pelo Garotinho com a presença marcante do criador do Café Literário, o poeta fidelense/campista Antonio Roberto Fernandes.  

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Garotinho critica reprovação no ensino médio no Rio


Manchete do jornal O Globo; abaixo o secretário estadual de Educação, Wilson Risolia
e sua antecessora no cargo Teresa Porto: os dois carrascos da educação do estado do Rio de Janeiro

A secretaria de Educação de Cabral virou um grande balcão de negócios com a compra superfaturada de lap tops, o aluguel de computadores e aparelhos de ar condicionado, tudo comandado pelo fazendeiro Jorge Picciani que emplacou a empresa INVESTIPLAN, que pertence a um sócio seu em investimentos com gado. Isso sem contar a contratação de mão de obra do Grupo Facility, do Rei Arthur e muitos outros negócios.

O primeiro secretário de Educação do governo Cabral, o professor Nelson Maculan, que foi reitor da UFRJ. Deixou o cargo porque não aceitou os negócios impostos pelo fazendeiro Picciani. O professor Maculan defendia investimentos nos professores. No seu lugar entrou a técnica de informática Teresa Porto, que não entendia nada de educação, mas aceitou transformar a secretaria de Educação no balcão de negócios. O resultado foi desastroso. Na gestão de Teresa Porto o ensino médio do estado do Rio de Janeiro caiu para o penúltimo lugar, só à frente do estado do Piauí.

Cabral decidiu então mudar. Colocou o economista especialista em mercado imobiliário e gestão de grandes fortunas para cuidar da educação. Segundo Cabral, o secretário Risolia faria uma gestão profissional. Está aí o novo resultado desastroso. O Rio é o segundo estado do Brasil em matéria de reprovação.

Mas pasmem, Wilson Risolia mandou dizer através de sua assessoria ao RJ TV, que admite que o resultado não é bom, mas que houve ligeira melhora. Que melhora Risolia? O resultado não é bom? O resultado é uma tragédia para o nosso estado. Mas os negócios seguem a todo o vapor, que é o que interessa para Cabral e para o fazendeiro Jorge Picciani, o “rei do gado”.
(Postagem extraída do Blog do Garotinho)

Dilma Roussef e os "direitos adquiridos"


Dilma Roussef fala na abertura da Marcha dos Prefeitos (Foto: JB)

Igualar a sociedade é acabar com o "direito adquirido", começar tudo de novo e solucionar o maior problema: distribuição equitativa da riqueza de uma nação. Mas isso ninguém quer. Os ricos e a classe média por motivos óbvios e os pobres por desconhecimento e pelo desejo de um dia "subirem na vida". A riqueza fictícia que se faz real devido o consumo (não devemos ter um terço de riquezas reais para os 100% de riquezas virtuais, metamorfoseadas de "moeda") mantém o sistema e proporciona a ilusão necessária ao statu quo.

O "mito da caverna" de Platão é sempre atual e mostra muito bem como a sociedade prefere viver.

Mas, em geral, as pessoas olham para seus próprios umbigos. Lutam por seus próprios interesses. Se estes coincidirem com os interesses da sociedade, tudo bem. Se não, que se dane a sociedade, pois o que importa "sou eu e os meus". Ninguém abre mão de privilégios a não ser pela força, pela coerção. E, num sistema que garante os "direitos adquiridos", não resta outra alternativa aos que os detém, lutar por eles, quando ameaçados.

O caso da indenização paga pela Petrobrás pela exploração de petróleo na Bacia de Campos gera polêmica porque aqueles que não querem perder seus privilégios, seus direitos adquiridos, usam de todos os meios possíveis (parlamentar, jurídico e pressão "popular") para acabar com os direitos adquiridos dos outros. No caso especifico, os milhares de municípios e dezenas de estados não produtores contra os poucos municípios e dois estados produtores. Incoerência, contradição, paradoxo.

Para redividir a riqueza produzida por uma nação, teríamos que refazer tudo, começar do zero. Partiríamos do princípio de que tudo que se produz é de todos. Isso, repito, ninguém quer. Então, que sejam respeitados os "direitos adquiridos". A presidente Dilma Roussef entendeu assim e disse para a nação: discutam indenização da extração do petróleo futuro e respeitem os contratos firmados. 

Para nós, ela deveria ter dito isso há mais tempo. Mas, como diz o ditado, antes tarde do que nunca. Porém, não foi simples assim. Precisou que a ex-governadora e prefeita de Campos Rosinha Garotinho iniciasse uma mobilização que chegou ao Rio, a Brasília, aos gabinetes ministeriais. Depois, o Garotinho, como líder político e deputado federal, conduziu o processo, com estudos feitos por especialistas, interdição de sessões na Câmara, mobilização das bancadas do Rio e Espírito Santo etc.. 

Agora, esperamos que Dilma Roussef mantenha a palavra e desmonte a arapuca montada no Senado e na Câmara para emparedar os estados do Rio e Espírito Santo, sugando deles a riqueza que lhes pertence. Isso acontecendo, acaba-se os sobressaltos, os temores de uma miserabilidade anunciada ante a perspectiva sombria da perda dos "royalties".  Em sendo assim, podemos planejar o futuro com segurança.

ÍRIA CLASS E SEU FORRÓ PÉ DE SERRA NO CANTINHO DO POETA


O sucesso de Íria Class no Cantinho do Poeta com seu forró pé de serra é atestado pelos frequentadores daquele ponto domingueiro. Vale a pena curtir a noite de domingo num lugar agradável, com pista de dança, ouvindo música popular de qualidade interpretada pela bela voz de Íria.

terça-feira, 15 de maio de 2012

A Jony Willian, para reflexão

Alguém cria uma associação. Por meio dela, propõe a uma parcela da comunidade prestar serviços. Na esfera política, reúne moradores para lutar por seus bairros, na esfera do meio ambiente, reúne ambientalistas para lutar pela preservação ambiental, na esfera cultural, reúne artistas de teatro, ou de música, ou artistas plásticos para lutar por espaços e eventos. E assim por diante, abrangendo todo tecido social.  

Porém, grande parte dessas associações, senão a maioria, quer se manter com dinheiro público. Muitos acreditam que têm direito ao dinheiro público. E eu pergunto: se o dinheiro é público, por que não cobrar dos administradores desse dinheiro, o atendimento às demandas da sociedade. O que já é feito, aliás, mesmo com as associações. 

Que os dirigentes dessas entidades reivindiquem apoio, particular e público, entende-se que é um direito. O que não quer dizer que seja um dever do particular ou público apoiar essa ou aquela entidade. Todas sentem-se no direito de ter verbas públicas para existirem e/ou praticarem suas ações. Parcela da sociedade é induzida pelas lideranças de algumas entidades a acreditar que é um dever do poder público dar o dinheiro para a manutenção das suas ações. 

É o que ocorre com o Centro Cultura Musical, uma escola de música cujo dono acredita que é dever do poder público manter projetos por ele criados para ensinar crianças e jovens a serem músicos. Quer fazer um bem, prestar um serviço que acredita ser importante (os artistas de teatro também têm seus projetos, assim como todas as demais esferas culturais ou não), com o dinheiro do povo. Direito seu de reivindicar, não se discute. Mas conduzir aprendizes e seus pais à rua para protestos contra o poder público é superestimar-se.

Se o poder público é que mantém essa ou aquela entidade, por que as lideranças dessa ou daquela entidade agem como se particulares fossem? Claro que o poder público permite. Mas não é o que penso, particularmente, que deveria prevalecer. Quando lideranças de entidades buscam as ruas para obterem apoio da sociedade a favor de seus projetos e ações e contra o poder público, extrapolam a esfera comunitária e de classe e ingressam na esfera político/partidária. Sugiro então que não usem de subterfúgios, nem mantenham veladas suas intenções. 

A melhor maneira de se fazer isso é o que fazemos nós: ingressa-se numa agremiação partidária e concorre-se a uma eleição com uma proposta que, por ter que ser mais ampliada, contemple todas as associações (que, ao final, similariza com qualquer proposta de governo, pois busca ela, em forma de programa, atender as demandas de toda a sociedade). Ou ainda: pode apoiar a liderança que, teoricamente, vai atender seus pleitos. 

Tentar causar danos ao poder público apenas porque este não manteve seus projetos é nivelar por baixo o discurso, é mediocrizar o debate. Ao mesmo tempo, é atender o próprio ego, sobrepondo suas ações às demais dos outros atores sociais que atuam associativamente. 

Lembro-me de alguns discursos de Jony Willian num passado não muito distante. Sempre favorável às artes e aos artistas da terra, no que concordamos plenamente. Todavia, nem ele nem seus assistidos dão o mínimo valor para as outras artes, como se a que ensina fosse a mais importante de todas.

Quando seus assistidos participam de um evento, são levados e apresentados como estrelas e, após os aplausos, merecidos, recolhem seus instrumentos e saem do recinto mesmo que o evento a seguir seja cultural. Um direito dele e de seus assistidos, mas Jony Willian não parece aceitar a miopia dos outros, sejam poetas, literatos, artistas de teatro, ou mesmo da música, desque que não sejam seus assistidos os executores.   

  

Será sepultado, hoje, o corpo de Sérgio Diniz



Uma notícia triste que abalou a classe política de Campos na tarde/noite de ontem, dia 14. Trata-se da morte do professor, ex-vereador, ex-deputado e um dos pensadores políticos de bom senso e respeitado, inclusive porseus adversários, Sérgio Diniz.

Vítima de um infarto fulminante, Sérgio Diniz, 69 anos, morreu por volta das 15h de ontem (14/05), foi velado na Universidade Cândido Mendes e será sepultado hoje, às 11 horas no Cemitério Campo da Paz.
A Câmara Municipal de Campos  decretou luto oficial.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Gerldo Venâncio fala, hoje, para os filiados do PTB e PSDB

O Médico, ex-vereador e atual secretário de Saúde de Campops, Geraldo Venâncio, vai proferir palestra hoje, às 19 horas, para os  filiados e pré-candidatos do PTB e do PSDB no Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Com sua larga experiência política e na administração pública, agora numa das pastas mais importantes do Governo, Geraldo Venâncio deve atrair muita gente interessada nas duas esferas.

O curso de política do PTB, que será encerrado este mês, começou no ano passado. Com aulas de política, história de Campos e Oratória e com palestras fundamentadas de diversos secretários municipais, o curso, na op8inião do Dr. Edson Batista, presidente do Partido, está sendo de grande importância para aqueles que tentarão conquistar uma cadeira na Câmara na eleição de outubro.

domingo, 13 de maio de 2012

As eleições e seus possíveis candidatos

Rosinha Garotinho, Arnaldo Vianna, Makhoul Moussallem, Roberto Henriques, João Peixoto, Odete Rocha, Andral Tavares e Erik Schunk. Estes são os, até agora, pré-candidatos à Prefeitura de Campos nas eleições de outubro.

Quem tem mandato, como é o caso de Roberto e João, a candidatura "é de graça", ou seja, sabem que não têm chance, não investem, mas seus nomes são divulgados e é isso realmente que interessa, para quem vai ser candidato na eleição seguinte.

Quem não tem mandato e sabe que não tem chance, é candidato para manter-se na mídia. Em geral, por vaidade, mas também para ganhar importância política numa possível negociação, com ocupação de cargos e/ou influenciando em indicações de diretores e até secretários. 

Há os que não desejam nada disso e sabem que não têm chances eleitorais, mas são candidatos para "marcar posição", como é o caso de Erik Schunk. O problema é que o discurso político/ideológico está deslocado, pelo menos nesses tempos nos quais ainda não foi encontrada uma causa pela qual lutar ideologicamente.

Quem disputa a eleição, então? Quem está no poder e tem um projeto para continuar, que é o caso de Rosinha e o nosso grupo político e, na oposição, de Arnaldo Vianna, que foi prefeito e disputou a eleição com Rosinha em 2008. Como Arnaldo foi um fracasso como governante, tendo perdido sua base, talvez nem seja para valer sua candidatura.

Mas é muito cedo e o momento é, apenas, de especulações.  

Homenagem a Patrocínio neste dia 13


Coisa rara, mas acontece: o "Dia das Mães" venceu o "Dia da Abolição". Contra a maré, rendo aqui, mais uma vez, a homenagem a José do Patrocínio, o "Tigre da Abolição", campista motivo de orgulho de todos os brasileiros de bom senso. 

Transpondo obstáculos intransponíveis para um negro "bastardo" - filho de um vigário com uma negra de 15 anos que lhe servia na Casa Paroquial - , o papa-goiaba tornou-se doutor, jornalista, redator, editor, dono de jornal, vereador na capital do Império, romancista e fundador da Academia Brasileira de Letras.

Como a maioria dos heróis, foi perseguido, preso e morreu na miséria aos 51 anos de idade.

Não vou aqui discorrer sobre a abolição que, embora bem-vinda, no ocaso do Império, não recebeu da República proclamada logo depois o tratamento esperado por Patrocínio. Os negros não tinham para onde ir e sequer o patronato permitiu que eles trabalhassem por salário.

O preconceito era grande e a raiva dos proprietários por terem lhes tirado grande parte do ganha-pão motivou-os a contratarem mão-de-obra estrangeira, européia. A dívida para com os negros nunca foi paga. 

Mas essa não é a intenção dessa postagem. Quero apenas lembrar Patrocínio nesse 13 de maio.